Especialista em cinema revela que caso Tenet seja adiado, toda a indústria sofrerá impacto; entenda

Agora a situação ficou feia! Em entrevista, um especialista em filmes de Hollywood afirmou que se Tenet, de Christopher Nolan, programado para ser um dos primeiros grandes lançamentos logo na reabertura das salas de cinema, for adiado mais uma vez, nenhum novo filme deve ser lançado até o dezembro.

Quando a pandemia por conta do novo coronavírus começou, 007: Sem Tempo Para Morrer foi o primeiro filme a ser adiado pelo estúdio, muito a pedido dos fãs que não queriam correr o risco de ver a última aventura de Daniel Craig como James Bond, de forma irregular. A partir daí, todos os estúdios foram empurrando seus lançamentos para mais tarde na esperança de que em julho, a ordem no mundo inteiro já estaria restabelecida.

Tenet, é o primeiro grande filme a ser lançado no mundo pós-COVID, mas ainda não dá uma garantia de que isso vai realmente acontecer, já que é uma possibilidade realista, a de grandes mercados ainda estarem fechados. Em entrevista ao jornal Washington Post, um executivo de um estúdio que preferiu não ser identificado, revelou que se em julho, a pandemia persistir, e Tenet for adiado, todos os outros estúdios pisarão no freio. “Se Tenet não sair ou não for bem-sucedido, todas as outras empresas vão ‘para a casa’. Não haverá nada novo no cinema até o Natal”, disparou.

Antes da pandemia do coronavírus, Nolan era uma força nas bilheterias, registrando rotineiramente números fortes. Seu nome é um grande atrativo para os espectadores, e é por isso que Tenet faz sentido como o primeiro grande lançamento após os desligamentos. No entanto, dado o clima atual, é impossível prever o desempenho do longa, visto que um panorama interessante já havia sido pintado por Bob Chapek, CEO da Disney: o das salas de cinema, limitarem a venda de ingressos para conseguirem manter uma distância segura entre as pessoas. Agora, Nolan tem uma grande missão além de fazer de seu filme um grande sucesso: servir de boi de piranha para toda a indústria.

 

Comentários