Estrela de Charmed, Alyssa Milano conta que quase morreu ao testar falso negativo para COVID-19

Alyssa Milano
Alyssa Milano (Reprodução/ Youtube)

A atriz Alyssa Milano, de 47 anos revelou em uma postagem no Instagram que em um exame feito recentemente descobriu que tem anticorpos para o coronavírus mesmo sem oficialmente ter tido a doença. Segundo ela, fez três testes em diferentes meses e todos eles deram negativo, mesmo depois de apresentar sintomas característicos de COVID-19. A estrela de Charmed, contou que passou muito mal no final de março, o que fez com que ela procurasse um hospital.

“Essa era eu no dia 2 de abril, depois de ficar doente por duas semanas. Eu nunca fiquei tão doente. Tudo doía. Perdi o olfato. Parecia que um elefante estava sentado no meu peito. Eu não conseguia respirar. Eu não conseguia manter a comida. Perdi 4,5 quilos em duas semanas. Eu estava confusa. Febre baixa. E as dores de cabeça eram horríveis”, escreveu ela na postagem que a mostrava com uma máscara de oxigênio.

Milano explicou que fez os costumeiros exames de swab (tipo de conotene) duas vezes no final de março, e nas duas vezes o resultado foi negativo. Em seguida, ela fez teste de anticorpo que também deu negativo, fazendo-a acreditar que seu mal era outro. O que não significa que seus sintomas melhoraram, apenas se mantiveram com o passar dos meses. “Depois de 4 meses com os mesmos sintomas, vertigem, problemas estomacais, menstruação irregular, palpitações cardíacas, falta de ar, perda de memória de curto prazo e mal-estar geral, um novo exame deu que tenho anticorpos para a doença”.

“Eu tive COVID-19. Eu só quero que vocês saibam que nosso sistema de testes é defeituoso e que não sabemos os números reais. Esta doença não é uma farsa. Achei que estava morrendo. Parecia que estava morrendo. Por favor, cuidem de si mesmos. Por favor, lavem suas mãos e usem uma máscara e distanciamento social. Eu não quero que ninguém se sinta do jeito que eu me senti. Fiquem bem. Eu amo todos vocês (bem, talvez não os trolls. Apenas as pessoas gentis)”, concluiu.