Estrela de Riverdale, Lili Reinhart diz que voltar ao trabalho na pandemia é como uma prisão

Lili Reinhart
Lili Reinhart (Reprodução)

A estrela de Riverdale, Lili Reinhart voltou a trabalhar na nova temporada da série, que teve seus trabalhos interrompidos pela pandemia em março deste ano, mas contou que fica nervosa em permanecer no set de filmagens como se um vírus não estivesse matando pessoas a todo momento.

“Nós paramos durante o episódio do baile, então eu tenho que ajustar aquele vestido de formatura. Cinco meses depois, estaremos todos bronzeados, talvez um pouco mais gordinhos. Certamente estou”, disse a atriz de 23 anos à revista Nylon, observando que depois de filmar os três últimos episódios da quarta temporada, a série seguirá direto para os novos episódios da quinta temporada, que terá um salto temporal de sete anos para o futuro.

Como a série é gravada em Vancouver, no Canadá, o elenco ficou em quarentena por duas semanas antes de começar a gravar, e ficará no país até o fim do ano. “Eu realmente me sinto uma prisioneira, voltando ao trabalho, porque não posso deixar o Canadá. Isso não parece ser uma coisa boa”, disse Reinhart. “Você não pode ir para casa no Dia de Ação de Graças, não pode visitar sua família. Ninguém pode vir visitá-lo, a menos que fique em quarentena por duas semanas. É horrível”.

Reinhart disse que se sente muito sortuda por estar participando da série, embora para ela é complicado não assumir nenhum outro projeto por um longo tempo. A atriz que também está no filme Chemical Hearts (A Química Que Há Entre Nós) da Amazon Prime Video, relatou que viveu um período difícil de depressão já durante o trabalho no programa. “Eu me sentia muito triste e sem esperança, por causa de coisas pessoais que estavam acontecendo na minha vida. Ao invés de me distrair, transar com pessoas aleatórias, usar drogas e drenar meus problemas, escolhi o caminho mais difícil, que era não me distrair. Eu estava tipo, ‘Eu não estou fazendo isso. Vou passar pelos próximos quantos meses de merda, merda pura, horrível, chorando todos os dias, mas o trabalho necessário’”.