Estudo relaciona aumento de suicídios nos jovens após a estreia de 13 Reasons Why

13 Reasons Why é uma série que gera polêmicas desde a sua estreia. O argumento em torno do suicídio de Hannah Baker, que gravou 13 fitas explicando todos os motivos para o ato antes do ato em si é apenas o estopim para uma narrativa que menciona autoflagelação, agressão sexual, bullying, depressão e outras.

Desde a sua estreia em 2017, toda uma discussão sobre a sua popularidade foi exaustivamente explorada na mídia e nas redes sociais. Especialistas no tema argumentaram que a sua presença em uma plataforma tão popular como a Netflix poderia impulsionar a muitos com quadros de depressão a tentar o suicídio, mas até então não haviam provas sobre tal teoria.

E agora, 13 Reasons Why volta a ser tema nos meios de comunicação. O motivo? A publicação de um estudo científico no Journal of the American Academy of Child and Adolescent Psychiatry, que estabelece uma relação muito negativa entre a estreia da série e os suicídios juvenis.

Os pesquisadores compilaram estatísticas de suicídios nos últimos anos nos Estados Unidos. De forma mais específica, os dados de pessoas entre 10 e 64 anos entre janeiro de 2013 e dezembro de 2017. Os dados mostram que, em abril de 2017 (depois da estreia de 13 Reasons Why), a taxa de suicídios entre crianças e jovens entre 10 e 17 anos aumentou em 28,9%, mas sem relação entre os maiores de 18 anos.

É preciso esclarecer que o estudo não leva em consideração se os jovens assistiram a série ou não. Porém, não deixa de ser preocupante a possível relação entre o aumento dos suicídios e a estreia da série. Depois de tudo, em diversas situações que o contexto retratado pode ser muito similar ao de qualquer outro adolescente com depressão e motivar ao fim da vida de um jovem. Isso, apesar das advertências colocadas no começo de cada episódio.

 

 

A resposta da Netflix

 

 

Antes de tudo isso, a Netflix se defendeu citando outro estudo da Universidade da Pensilvânia, que mostrou um aumento do risco de suicídio para quem deixou de ver a série na metade da segunda temporada. Em troca, também tiveram pessoas que mostraram uma maior perspectiva de futuro depois de ver a série. Além disso, supostamente aumentou a vontade de ajudar a uma pessoa que pode estar correndo o risco de tirar a própria vida.

Mesmo assim, a Netflix garantiu que está trabalhando arduamente para tratar o tema de forma séria. De fato, reforçou que, para a segunda temporada, foi muito bem assessorada com especialistas em prevenção de suicídio.

Ao que parece, pelo menos por enquanto, as críticas não vão evitar que a Netflix continue a produzir 13 Reasons Why. A terceira temporada está confirmada desde o ano passado.

 

bostancı escort