Figurinista de Mulher Maravilha 1984, fala sobre como foi a construção de novo traje da heroína

Gal Gadot como Mulher-Maravilha (Divulgação / DC)
Gal Gadot como Mulher-Maravilha (Divulgação / DC)

Diferente do primeiro filme de 2017, Mulher Maravilha 1984, mostrará Diana, interpretada por Gal Gatot enfrentando novos inimigos, em outro período, e até mesmo com outras roupas. A armadura dourada da heroína logo chamou a atenção dos fãs, que ficaram enlouquecidos pelas semelhanças com os quadrinhos quando as primeiras imagens foram divulgadas.

Durante a divulgação do filme em Londres, a figurinista Lindy Hemming disse que o traje estava em desenvolvimento há muito tempo. A armadura apareceu pela primeira vez nas páginas do arco de quadrinhos Kingdom Come de 1996 de Alex Ross e Mark Waid. Diana, se preparava para lutar contra uma onda crescente de super-heróis mais jovens e voláteis, e tira esse traje reluzente da parede de seu quarto na Torre de Vigilância e entra em modo de guerra.

Mulher Maravilha com armadura dourada em Kingdom Come
Mulher Maravilha com armadura dourada em Kingdom Come (Reprodução)

Desde então, os armamentos de batalha, transformando Diana em uma Vitória Alada viva, reapareceram quando a Mulher Maravilha precisou lutar contra seus adversários mais formidáveis. Nem Hemming nem a própria Patty Jenkins, diretora do longa, desistiram de saber por que Diana precisa da armadura no contexto de 1984, mas apontaram características especiais:

“Houve toda essa conversa sobre como, em todas essas ilustrações, existem alguns tipos de asas. Tem havido quilômetros e quilômetros de debate, que asas realmente não combinam com este [traje] e blá, blá, blá. No final, as asas se tornaram seus escudos”.

Hemming descreve as próprias asas como semelhantes a um parapente, que então se prendem ao lugar em torno de Diana para se tornarem seus escudos, mais especificamente, “como escudos romanos”, acrescenta ela. Impressões de pinturas de soldados romanos antigos cobrem as paredes do espaço de trabalho de Hemming. Claramente, a estética causou um grande impacto nela. “Basicamente, seu estilo de luta é com os escudos, então, estou muito satisfeita agora porque acho que não havia lógica em [eles] serem um par de asas, na verdade. Mas há uma lógica em ser algo em que ela pode deslizar”.

Wonder Woman 1984 #1 (Imagem: Divulgação/ DC Comics)

Mulher Maravilha 1984 vai se relacionar com Diana anos depois de salvar a humanidade do deus Ares durante a Primeira Guerra Mundial, onde ela ganha uma vida solitária trabalhando no museu Smithsonian em Washington, DC em 1984. Sua melhor amiga no trabalho é Barbara Minerva (Kristen Wiig), que inevitavelmente cumprirá seu destino passando por uma transformação felina para se tornar a mais famosa inimiga de Diana no folclore da DC Comics, a Mulher-Leopardo. Pedro Pascal também interpreta o vilão Maxwell Lord, um empresário desprezível com traços semelhantes a Donald Trump. (Fotos do presidente também podem ser encontradas adornando o estúdio de Hemming) Basta dizer que Diana precisará de algum reforço para lidar com tudo isso, claro, a armadura dourada.

O desafio, assim como com o visual exclusivo da Mulher Maravilha do primeiro filme e da Liga da Justiça de 2017, foi desenvolver “um tailleur leve, móvel e sexy”, diz Hemming. Com a ajuda de técnicos que imprimiram em 3D alguns dos componentes do traje, eles criaram algo que ela descreve como “astuto e vigoroso”.

“Você consegue um pouco o efeito do Superman onde, quando as luzes estão acesas, há um brilho”, diz Hemming. “Não dá para ver lá, mas tem um brilho que vai sair desse tecido, entre as peças. Isso apenas dá uma dimensão extra a tudo”.