França toma decisão sobre cenas de beijo nos cinemas

Cenas de beijo são liberadas na França (Imagem: Reprodução)

O beijo deverá voltar às telas dos cinemas. A França foi o primeiro país do mundo a liberar cenas de beijo nos filmes, após os índices da pandemia do novo coronavírus começarem a cair. 

Após inúmeros casos e um número alarmante de mortes, a França conseguiu baixar drasticamente o números de novos casos da COVID-19, e ainda conseguiu controlar de um modo significante a quantidade de novas vítimas fatais.

Com tantos dados positivos, Franck Riesens, ministro da Cultura da França anunciou a rede RTL: “Não, o beijo no cinema não acabou”, assegurou.

Mas mesmo com a liberação das cenas de beijo, elas só serão rodadas após os atores serem submetidos ao teste da COVID-19, a fim de constatarem a presença ou não do vírus do novo coronavírus.

A França foi um dos países que criaram um fundo para apoio a indústria do cinema. O país criou um fundo de indenização de 50 milhões de euros, ou seja, mais de R$ 300 milhões, valores que vão permitir a retomada das gravações após um longo período de paralisação imposto pelo confinamento no qual a população teve que ser submetida.

Já a reabertura das salas de cinema no país ocorreu no dia 22 de junho, mas o governo determinou que as salas abrissem com apenas a metade de sua capacidade, e ainda que exista um distanciamento entre os espectadores.

A COVID-19 chegou a vitimar mais 29 mil pessoas na França, o país europeu já foi considerado um dos epicentros da doença no mundo, principalmente devido aos altos números de dois de seus vizinhos, Itália e Espanha.

Atualmente, a França já está na terceira etapa de reabertura de suas atividades econômicas, com museus, restaurantes e até cinemas voltando a operar. O país também informou que voltará a ter esportes coletivos e com estádios com público.