Francis Ford Coppola rebate declaração de Winona Ryder, e atriz volta atrás

Winona Ryder e Keanu Reeves
Winona Ryder e Keanu Reeves (Reprodução)

Francis Ford Coppola está negando a lembrança de Winona Ryder de que ele instruiu seus colegas de elenco a abusarem verbalmente dela no set de Drácula de Bram Stoker. E Ryder concorda com ele. Durante uma entrevista ao Sunday Times, a estrela de Stranger Things abordou um boato sobre os bastidores do longa de 1992. Durante uma cena dramática em que ela deveria estar chorando, disse Ryder, Coppola instruiu os atores homens gritassem insultos com ela.

Coppola, no entanto, agora disse que não foi o que aconteceu. “Embora eu ache que Winona é uma atriz maravilhosa, o incidente que ela descreveu não foi como aconteceu, e gritar ou abusar de pessoas não é algo que eu faço como pessoa ou como cineasta. Nesta situação, da qual me lembro claramente, instruí Gary Oldman – no personagem Dracula – a sussurrar palavras improvisadas para ela e para os outros personagens, tornando-as o mais horríveis e más possíveis. Não sei o que foi dito, mas a improvisação é uma prática comum de cinema”, disse ele em comunicado para a Entertainment Weekly.

Por sua vez, Ryder corroborou a versão dos eventos de Coppola. “Winona e Francis estão de acordo e sua lembrança está correta”, disse um porta-voz da atriz também em comunicado à revista. “Ele pediu aos atores no personagem que dissessem coisas horríveis a Winona como uma técnica para ajudá-la a chorar pela cena. Embora essa técnica não funcionasse para ela, ela o ama e o respeita e considera um grande privilégio ter trabalhado com ele”.

Ryder havia dito ao Times: “Literalmente, Richard E. Grant, Anthony Hopkins, Keanu… Francis estava tentando fazer com que todos gritassem coisas que me fariam chorar. Mas Keanu [Reeves] não fez, Anthony não fez… quando acontecia simplesmente não funcionava. Eu ficava, tipo: ‘sério’?”, disse ela que revelou que está em paz com o diretor enquanto comentava sua longa amizade de com Keanu Reeves.