Funcionários ameaçados de demissão ficam revoltados com salário de Reese Whiterspoon

Reese Witherspoon (Divulgação)
Reese Witherspoon (Divulgação)

A revista Page Six publicou nesta quarta-feira, 03 de junho que os funcionários da plataforma de streaming Quibi ficaram revoltados com o salário recebido por Reese Whiterspoon. A atriz e produtora teria recebido a quantia de seis milhões de dólares para narrar os episódios da série documental Fierce Queens. Segundo a matéria, o problema é que enquanto a famosa recebe valores exorbitantes, os demais profissionais estão sendo ameaçados de demissão, já que a plataforma alega que o momento de crise propiciou isso.

Como cada episódio da série tem apenas seis minutos, muito tem se falado sobre a atriz ganhar muito para um trabalho mínimo. A série foi lançada como um componente importante  da biblioteca do Quibi, mostrando as fêmeas mais fortes do reino animal, como hienas, guepardos, e formigas, mas segundo uma fonte que conversou com a revista, o investimento não valeu a pena, pois não foi revestido em audiência, sendo considerado internamente, um dos produtos mais fracos.

“Quibi pode ter que implementar cortes, e as pessoas estão furiosas porque estrelas como Reese receberam milhões”, disse a tal fonte que ainda revelou que Quibi já cortou horas extras para funcionários e demitiu silenciosamente outros. “O clima é sombrio”, continuou. A plataforma tem tentando ganhar notoriedade na guerra dos streamings, oferecendo produtos mais curtos.

Em maio, Quibi afirmou ter registrado mais de 3,5 milhões de downloads de seu aplicativo e 1,3 milhão de usuários ativos, mas o CEO Jeffrey Katzenberg disse ao New York Times que esses números estão muito abaixo de suas projeções. “Não depende do que queríamos. Não está perto do que queríamos. Atribuo tudo que deu errado ao coronavírus. Tudo”, disparou.

De acordo com o site Decider, o Quibi entrou em contato negando as informações com o seguinte comunicado: “Estamos satisfeitos com o desempenho do Fierce Queens ; Além disso, a compensação de talentos era totalmente imprecisa. Somos gratos pelo apoio contínuo de Reese a Quibi. Nada mudou desde a nossa última reunião da empresa, há duas semanas. Quibi está em uma boa posição financeira, como dissemos naquela reunião, procuraremos maneiras de apertar o cinto. Não estamos demitindo funcionários como parte de medidas de redução de custos, pelo contrário, recentemente, contratamos uma dúzia de novos funcionários. E com relação às medidas de economia, nossa equipe de liderança sênior se ofereceu para fazer um corte salarial de 10%, porque é a coisa certa a fazer”.