Greg Daniels conta de onde surgiu a ideia para criar enredo da série Upload

Upload
Upload (Reprodução)

Quem teve a oportunidade de assistir à série Upload, atualmente em cartaz na Amazon Prime Video já percebeu que ela é cheia de tecnologia, que mistura romance, e um pouco de mistério. O criador do show, Greg Daniels, contou que diferente do que muita gente acredita, a ideia não nasceu recentemente, e sim no fim dos anos 80, quando ele fazia parte da equipe de roteiro do humorístico Saturday Night Live.

Em entrevista à revista Variety, o escritor contou que ao ver anúncios de recém-lançados tocadores de CD, ele passou a tentar estabelecer uma diferença entre o digital e o analógico, e como seria se toda a vida de uma pessoa se tornasse digital. Ele chegou a tentar esboçar isso em um livro durante a greve dos roteiristas que aconteceu de 2007 para 2008, mas sem sucesso.

Upload acompanha a trajetória de Nathan (Robbie Amell), um homem um pouco arrogante, que está um relacionamento perfeito, e está pronto para ascender profissionalmente com uma grande ideia corporativa, até que acaba sofrendo um acidente. É lhe dada a opção de fazer um upload, de toda a sua consciência, e evitar a morte completa. Ele passaria a viver num universo virtual, pago pela namorada rica, que tem mania de controle.

Para conseguir acompanhar a tecnologia, o roteirista revela que participou de várias feiras de eletrônicos, embora a inspiração para Nathan, estava em seu próprio bairro. “Meu barbeiro é uma inspiração para Nathan. Eu tenho um barbeiro persa-americano que é muito bonito e um cara muito charmoso e simpático. A série passa a mensagem esperançosa de que se essa tecnologia existisse, talvez lhe desse uma segunda chance de pensar mais profundamente sobre a vida que você tem ou suas escolhas”, disse.

Na história da série, acaba acontecendo um triângulo amoroso entre Nathan, Nora (Andy Allo), a moça que faz parte do suporte técnico do paraíso virtual em que o protagonista faz parte, e Ingrid (Allegra Edwards), sua noiva, quando era vivo. O maior problema entre eles é que Nathan está morto, e as duas moças estão vivas no mundo real, e precisam de vários aparatos tecnológicas, como roupas especiais para simular a sensação de toque.

“Embora Ingrid possa ser superficial, eu calibraria na sala de edição para que não fosse tudo um ou outro em termos de relação perfeita para Nathan. Você quer que ele conheça Nora. Nora é uma pessoa que sofreu algumas reversões na vida e tem um pouco mais de compaixão por causa disso”, disparou. A série conta com 8 episódios em sua primeira temporada.