Helena Bonham Carter fala sobre o tom diferente de Enola Holmes

Millie Bobby Brown e Helena Bonham Carter em Enola Holmes (Imagem: Divulgação)

Lançado nesta quarta-feira, 23 de setembro, Enola Holmes traz uma nova perspectiva e novos personagens para a clássica história do famoso Sherlock Holmes. Baseado no livro de Nancy Springer, o filme apresenta Millie Bobby Brown no papel da personagem título, a inteligente e rebelde irmã adolescente do lendário detetive. Com um elenco estelar, que ainda inclui Henry Cavill, Sam Claflin e Helena Bonham Carter, o longa agradou bastante a crítica e o público.

Em entrevista concedida à EW, a atriz veterana falou sobre a experiência na adaptação e ressaltou como a produção renova o clássico. Intérprete de Eudoria, a mãe desaparecida da protagonista, Carter é fã declarada da história de Sherlock. “A irmã desconhecida – simplesmente adorei a ideia”, a britânica afirmou. “É realmente engraçado, porque o próprio Sherlock é bastante misógino, o Sherlock original. Então é como um ‘f-você’, mas você não pode dizer ‘f-você’ para Sherlock”.

No filme, Eudoria acorda no seu aniversário de 16 anos e descobre que sua mãe havia desaparecido. Uns dias depois, os seus irmãos mais velhos, o famoso Sherlock (Cavill) e o sério Mycroft (Claflin) aparecem para entender o que está acontecendo. Mas, ao contrário do que a jovem esperava, seu irmão mais velho, que tem sua guarda, quer mandá-la para um colégio interno de meninas. Muito perspicaz, a garota encontra algumas pistas deixadas pela mãe e acha dinheiro mais que suficiente para embarcar numa aventura. À bordo de um trem para Londres, a adolescente do campo que não conhece o mundo, encontra um jovem marquês, que também está fugindo. Os planos de encontram sua mãe ficam em segundo plano quando ela percebe que o garoto que conheceu sofre perigo.

A personagem de Helena Bonham Carter, que está desaparecida, é uma mulher para além das expectativas da época. Ela educou Enola sozinha em casa, ensinando desde ciência até jiu-jitsu. Embora, não tenho muito tempo na tela, a mãe nada convencional causa uma impressão poderosa, com flashbacks interessantes sobre a sua forma de criar a filha. “Eu meio que me apaixonei pela coisa toda – não pela parte, porque a parte mal estava lá”, a atriz recorda. “Foi a menor e maior parte que me foi oferecida. Nicki, minha agente, disse: ‘Você não quer fazer isso’. Eu disse: ‘Não, não, não, não, não, há muito nessa mulher, é engraçado que você nunca a veja'”.

Carter também destacou como era “logisticamente impossível” fazer jiu-jitsu sando espartilho e toda aquela roupa. “Eu senti que seria um veterano em jiu-jitsu”, afirmou. “Mas Millie aprende tão rápido que eu estava anos atrás dela quando se tratava de fazer isso. Embora fosse irônico, porque eu deveria ensiná-la a fazer jiu-jitsu”. A atriz acrescentou: “Eu assisti e achei que era um verdadeiro tônico. E é uma distração do bloqueio”, diz ela rindo. “É muito doce e divertido – e cara, precisamos nos divertir agora!”

Dirigido por Harry Bradbeer (‘Fleabag’, ‘Killing Eve’), com base no roteiro de Jack Thorne (‘Extraordinário’, ‘O Jardim Secreto’), Enola Holmes ainda conta com Susan Wokoma (Year of the Rabbit), Louis Partridge (Medici: Masters of Florence), Frances de la Tour (Vicious), Adeel Akhtar (Murdered by My Father), Fiona Shaw (Harry Potter) e Burn Gorman (Torchwood).

Assista ao trailer:

Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), apaixonada por literatura, cartas e pela magia do cinema. Escritora de histórias e trajetos dos amores.