Hugh Jackman revela detalhes de como foi gravar cena final de Wolverine

Hugh Jackman em cena de Logan (Imagem: Reprodução)

Hugh Jackman contou à Variety detalhes de sua última cena como Wolverine em Logan. O desfecho do personagem foi gravado numa região de grande altitude “com trovões ecoando por todo lado.”

O ator, de 51 anos, disse: “Eu estava muito envolvido naquele momento. Por sorte, estava trabalhando com um diretor em que eu confiava, James Mangold”, revelou o astro hollywoodiano.

Jackman lembra que os trovões deixaram a gravação impossível e foi quando ouviu de Mangold que iriam gravar “A morte”. “Nós íamos filmar uma grande cena de ação, mas com os trovões isso se tornou impossível. Então ele disse: ‘Vamos gravar a morte’. Eu fiquei assustado. ‘Vamos filmar isso agora? ‘. Ele disse: ‘Sim, vou colocar só você e Dafne na cena, não precisamos de todo mundo em volta’. Eu acabei concordando. Ele sabia o que era melhor para mim”, assegurou.

“Dafne [Keen] estava incrível no papel [de Laura/X-23]. Depois de filmarmos a parte dela em dois takes, James me diz: ‘Agora vamos fazer mais um com você, Hugh’. E eu disse: ‘Sério? Eu estou meio… ‘. Ele me interrompeu e disse: ‘Cara, relaxe, vamos parar os relógios. Não se preocupe com nada. É o fim de uma jornada de anos para você'”, explicou.

Jackman agradeceu a Mangold pela lembrança: “Ele só deixou as câmeras rolando. Ele permitiu que eu pudesse me lembrar daquele momento da forma certa. Foi um luxo que eu nunca vou me esquecer”, revelou.

Recentemente, Hugh Jackman em um bate-papo com a atriz Anne Hathaway para a revista Variety, elegeu o seu trabalho no filme Má Educação, da HBO como um dos momentos mais intimidadores da sua carreira. No filme, Jackman, interpreta Frank Tassome, comandante da maior fraude da educação da história americana.

“Senti um peso real, porque estava descrevendo o pior momento da vida daquele homem. Eu nunca contei a ninguém a importância do Cory Finley na jornada desse personagem, e por isso estou dando uma respirada agora para poder te contar”, confessou ele.

“Fui até ele pouco antes de começarmos a filmar, e falei: ‘Passei a maior parte da minha carreira pensando que se eu for o número 1 no meu trabalho, o mais comentado, é ser como o quarterback, que tem o domínio sobre a bola, mas estou constrangido’. Ele sabia quem eu era, e fui honesto com ele. Eu me sentia nervoso, pedia para parar um instante e falava ‘Olha, eu sei que essas cenas são importantes, mas me sinto muito pressionado como nunca, e estava com vergonha de dizer, e achei que não fosse importante’”, completou.

“Ele então disse: ‘Não vou te deixar ir para a casa a menos que se sinta bem. E se você não ficar bem hoje, a gente volta e filma amanhã, temos esse tempo’. Acho que a medida que envelheço, sou mais corajoso e mais honesto quanto às minhas inseguranças”, completou.

Amante das diversas formas de expressão cultural. Viciado em séries, e sempre por dentro das últimas novidades do cinema. Ama dramas e sempre tenta dar uma oportunidade para as fantasias, distopias e os longas de ação e terror.