Ideia descartada de Residência Hill gerou episódio mais comentado de A Maldição da Mansão Bly

Viola (Kate Siegel) em A Maldição da Mansão Bly
Viola (Kate Siegel) em A Maldição da Mansão Bly (Reprodução)

A Maldição da Mansão Bly chegou na Netflix no último fim de semana, e comparações com sua primeira temporada, A Maldição da Residência Hill foram inevitáveis, mas a nova história fez aquilo o que a anterior não foi capaz: explicar a fundo o enredo por trás dos fantasmas que habitavam o lugar. Essa inclusive foi uma das reclamações dos fãs do programa em seu primeiro ano, alegando que tudo ali era no mínimo ambíguo. Em entrevista ao site Collider, Mike Flanagan responsável pelas produções explicou que era um desejo fazer um episódio com as histórias daquelas criaturas na primeira temporada, porém faltou verba para tal.

Já em Bly, ele concentrou seus esforços e conseguiu contar a história de um episódio que está sendo considerado uma obra prima. [SPOILERS A SEGUIR] O oitavo episódio da série conta o enredo da Mulher do Lago, que no século 17 foi a rica proprietária da mansão, Viola (Kate Siegel), que armou um plano quando seu pai morreu, para continuar tendo o local para si, e para sua irmã Perdita (Catherine Parker), se casando com um parente distante. Depois de dar à luz, Viola de descobriu com tuberculose, e foi colocada em isolamento dentro da mansão, proibida até mesmo de passar muitos momentos perto da filha. Ao perceber que um envolvimento entre a irmã caçula e o marido, estava prestes a acontecer, e pressentindo a própria morte, ela guardou aquilo o que considerava que tinha de mais valioso, suas roupas e joias em um baú, fazendo o homem prometer que só abriria quando chegasse a hora de presentear sua filha com aquilo. Mas quem abriu o baú foi a irmã, a esta altura já casada com o cunhado afundado em dívidas, e foi morta pelo fantasma de Viola que passou a habitar o baú na esperança de que o marido e a filha o abrissem, mas a dupla acabou jogando tudo no lago.

“Em Residência Hill, tínhamos a intenção de fazer uma história completa da família Hill e dos residentes de lá antes da mudança dos Crains. Não conseguimos fazer isso. Nós tínhamos escrito, tínhamos escolhido o elenco, tínhamos agendado, foi extirpado antes que pudéssemos filmar, enquanto lutávamos para tentar terminar a temporada dentro do prazo e do orçamento. Isso foi o que sacrificamos no altar do nosso bom comportamento, mas a ideia para isso de que poderíamos realmente voltar e contar a história de A Maldição em si e dos fantasmas para que eles não fossem tão difíceis de conectar aos nossos protagonistas. Isso foi realmente emocionante. Foi como desta vez, podemos realmente voltar, podemos fazer uma peça de época adequada. Temos este belo pedaço de material. Parecia uma grande oportunidade para Cate (Catherine Parker) e para Katie [Siegel], ambas as quais não pudemos encontrar um papel regular na série abrangente para a história como estava estruturada”, disse o autor que revelou que este é o seu episódio favorito de toda a série e se baseia no livro The Romance of Certain Old Clothes, de Henry James.

“Esse episódio é o meu favorito nesta temporada. Além de ter, acho, o melhor título de qualquer conto de fantasmas que já ouvi, pensei que fossem as sementes de tantas coisas que se tornaram incrustadas no terror contemporâneo. Você lê a história como ela é e pode ver o tipo de inspiração para O Chamado e para O Grito. Você vê este exemplo de vingança sobrenatural imaginada, é tão bem descrito no livro que eles encontram a pobre mulher esparramada na frente do porta-malas com essa expressão congelada de horror no rosto e os hematomas dos dedos ao redor do pescoço do fantasma que a estrangulou. E não é apenas mais agressivo e cruel do que qualquer outra coisa que Henry James já escreveu sobre um fantasma, a maioria de seus fantasmas são incrivelmente educados e eles apenas tipo, ‘Oh, olá.’ Isso foi fantástico. Mas, para mim, isso realmente mostra como algumas das ideias que Henry James colocou pela primeira vez se popularizaram tanto consciente quanto inconscientemente ao longo dos anos e continuaram a informar o gênero. Essa história sempre será uma das joias da coroa desta temporada”.