James Gunn conta se concorda ou não com relançamento de Esquadrão Suicida de David Ayer

Cena de Esquadrão Suicida (Reprodução)
Cena de Esquadrão Suicida (Reprodução)

Desde eu o Snyder Cut, versão original de Liga da Justiça planejada por Zack Snyder se tornou uma realidade na ultima semana, os fãs voltaram seu olhar para Esquadrão Suicida, outro filme da DC, e Warner, que segundo seu diretor não recebeu o tratamento adequado. O estúdio inclusive está se preparando para lançar O Esquadrão Suicida, espécie de reboot/ continuação dirigido por James Gunn.

Gunn, que conseguiu fazer imenso sucesso com Guardiões da Galáxia da Marvel, foi contratado pela WB para fazer assumir qualquer projeto que tivesse interesse e escolheu a equipe de anti-heróis justamente por ser aquela que ele é mais fã. Para escrever o roteiro, ele conta inclusive que chegou a reler absolutamente todos os quadrinhos já lançados do Esquadrão.

Mas para quem acredita que um possível relançamento do filme comandado por David Ayer no streaming, possa atrapalhar o novo longa de Gunn nos cinemas, aí vai um aviso: o próprio cineasta não se opõe a esta ideia.

Ao ser questionado por um fã no Twitter, sobre ser contra o possível relançamento do filme de 2017, por possivelmente tirar o interesse de sua versão, ele respondeu: “Eu ficaria bem com o que quer que David Ayer e Warner Bros., quisessem lançar. Sem nenhum problema”, disse ele marcando Ayer na postagem.

David Ayer criticou publicamente a Warner por ter colocado nos cinemas, um filme muito diferente daquele que planejou. Na época, assustada com as críticas pelo tom obscuro de Batman vs. Superman: A Origem da Justiça, a empresa decidiu amenizar o tom de Esquadrão Suicida. Para isso recorreu à edição, cortando muitos minutos de cenas que segundo o diretor eram importantes. “Seria incrivelmente catártico para mim. É cansativo ser chutado por um filme que recebeu o tratamento de Edward Mãos de Tesoura. O filme que fiz nunca foi visto”.

Endossando o pedido dos fãs, Ayer explicou que seu filme seria fácil de ser relançado, e não custaria muito aos cofres da empresa, já que chegou a ser finalizado com todos os efeitos, mas retalhado na edição.