James Gunn revela importância de Scooby-Doo na sua carreira

James Gunn (Reprodução)

O personagem Scooby-Doo existe desde os anos 60, e iniciou sua jornada de muito sucesso na animação de mesmo nome. Demorou pouco mais de 30 anos para que fosse feito um live-action de suas aventuras, e o responsável por escrever o roteiro foi ninguém menos que James Gunn, hoje conhecido por dirigir os filmes Guardiões da Galáxia, da Marvel Studios/ Disney, e mais recentemente O Esquadrão Suicida da DC Films/ Warner Bros.

Devido ao isolamento social provocado pela pandemia do coronavírus, o diretor resolveu fazer uma sessão de perguntas e respostas em seu Instagram e foi perguntado sobre uma possível sequência de Scooby-Doo. O primeiro filme lançado em 2002, teve Freddie Prinze Jr. (Fred), Sarah Michelle Gellar (Daphne), Matthew Lillard (Salsicha) e Linda Cardellini (Velma) no elenco, e um misto de críticas negativas e positivas.

Mas sua bilheteria de 275 milhões de dólares foi o suficiente para garantir que o longa tivesse uma continuação em 2004, chamada Scooby-Doo 2: Monstros à Solta. Desconhecido na época, Gunn trabalhou ao lado do diretor Raja Gosnell, e explicou hoje, que os filmes infantis pavimentaram o caminho para que ele fizesse Guardiões da Galáxia.

“Eu fiz um acordo para escrever e dirigir um terceiro filme (Scooby-Doo) em 2004, mas o segundo filme, que embora tenha ido bem, não foi tão bem o suficiente para garantir um terceiro, e por isso o filme nunca foi feito. Digo isso porque nesses filmes eu era um aprendiz de diretor, e me possibilitaram estar pronto para dirigir Guardiões quando a hora chegou”, escreveu ele.

Perguntado se chegou a escrever o roteiro de Scooby-Doo 3, ele revelou que fez apenas o rascunho com o argumento de como seria a história, e nada mais. Durante essas sessões de perguntas e respostas, Gunn também explicou que não tem interesse em dirigir um filme da franquia Star Wars.

“Não me interessa como cineasta. Eu não consigo pensar em nenhuma outra franquia que eu gostaria de me juntar além daquelas das quais eu já faço parte”, disse ele.

O personagem Scooby-Doo existe desde os anos 60, e iniciou sua jornada de muito sucesso na animação de mesmo nome. Demorou pouco mais de 30 anos para que fosse feito um live-action de suas aventuras, e o responsável por escrever o roteiro foi ninguém menos que James Gunn, hoje conhecido por dirigir os filmes Guardiões da Galáxia, da Marvel Studios/ Disney, e mais recentemente O Esquadrão Suicida da DC Films/ Warner Bros.

Devido ao isolamento social provocado pela pandemia do coronavírus, o diretor resolveu fazer uma sessão de perguntas e respostas em seu Instagram e foi perguntado sobre uma possível sequência de Scooby-Doo. O primeiro filme lançado em 2002, teve Freddie Prinze Jr. (Fred), Sarah Michelle Gellar (Daphne), Matthew Lillard (Salsicha) e Linda Cardellini (Velma) no elenco, e um misto de críticas negativas e positivas.

Mas sua bilheteria de 275 milhões de dólares foi o suficiente para garantir que o longa tivesse uma continuação em 2004, chamada Scooby-Doo 2: Monstros à Solta. Desconhecido na época, Gunn trabalhou ao lado do diretor Raja Gosnell, e explicou hoje, que os filmes infantis pavimentaram o caminho para que ele fizesse Guardiões da Galáxia.

“Eu fiz um acordo para escrever e dirigir um terceiro filme (Scooby-Doo) em 2004, mas o segundo filme, que embora tenha ido bem, não foi tão bem o suficiente para garantir um terceiro, e por isso o filme nunca foi feito. Digo isso porque nesses filmes eu era um aprendiz de diretor, e me possibilitaram estar pronto para dirigir Guardiões quando a hora chegou”, escreveu ele.

Perguntado se chegou a escrever o roteiro de Scooby-Doo 3, ele revelou que fez apenas o rascunho com o argumento de como seria a história, e nada mais. Durante essas sessões de perguntas e respostas, Gunn também explicou que não tem interesse em dirigir um filme da franquia Star Wars.

“Não me interessa como cineasta. Eu não consigo pensar em nenhuma outra franquia que eu gostaria de me juntar além daquelas das quais eu já faço parte”, disse ele.