James Gunn revela se lançaria um de seus filmes direto no streaming

James Gunn
James Gunn (Reprodução)

James Gunn, diretor do novo Esquadrão Suicida revelou se o filme será lançado direto no streaming em uma sessão de perguntas e respostas feitas no Instagram Stories. Por lá, um fã fez a seguinte pergunta: “Se dependesse apenas de você, você lançaria O Esquadrão Suicida, ou Guardiões da Galáxia Vol. 3 direto em um serviço de streaming?”.

Desde que a pandemia causada pelo coronavírus começou, vários filmes que seriam lançados no cinema, tiveram dois caminhos: o adiamento de sua data de estreia, ou o lançamento antecipado nas plataformas de video on-demand e streaming, como recentemente aconteceu com Artemis Fowl: O Mundo Secreto, lançado diretamente no serviço Disney+ nos Estados Unidos.

James Gunn respondeu que poderia até lançar sim o filme no streaming. “Somente se essa fosse a única maneira que os filmes pudessem ser vistos”, disse. Bob Iger, antigo CEO da Disney, deu uma entrevista em que falou sobre a mudança de lançamento dos cinemas para o streaming anteriormente:

“Há alguns dias decidimos colocar alguns filmes no Disney+. Já anunciamos um, Artemis Fowl: O Mundo Secreto, que seria lançado nos cinemas. Outros simplesmente adiamos. Em alguns casos, mudamos as coisas para a Disney + mais rápido do que teríamos. Frozen 2 era um deles, mas Dois Irmãos: Uma Jornada Inesquecível seria o maior exemplo. Já estava nos cinemas quando a pandemia aconteceu. Mudamos para um período de pay-per-view por algumas semanas, onde as pessoas podiam comprá-lo e possuí-lo, e acabamos colocando-o no Disney+”.

Ele continuou: “Em termos de filmes posteriores a Artemis, pode haver alguns mais que acabaremos colocando diretamente na Disney+, mas, na maioria dos casos, muitos dos grandes filmes da Disney, simplesmente vamos esperar [a reabertura dos cinemas]. Em alguns casos, já anunciamos novas datas no calendário”. Curiosamente, o diretor Kevin Smith ao comentar sobre o assunto disse que a melhor forma de os estúdios lidarem com a perda financeira seria colocar esses filmes nas plataformas, com um preço equivalente ao preço que toda a família junta pagaria para vê-lo no cinema, como por exemplo 100 dólares por cada cópia.