James Magold, de Logan não acreditou quando Fox aceitou enredo trágico para o filme

James Mangold dirigindo Hugh Jackman em Logan
James Mangold dirigindo Hugh Jackman em Logan (Divulgação)

O cineasta James Mangold, responsável por Logan (2017) participou de uma watch party fazendo comentários sobre seu filme, dando muitas informações divertidas de bastidores, e segundo ele um dos momentos mais impactantes para si mesmo se deveu ao fato de a Fox ter permitido que ele desse um final trágico à equipe dos X-Men.

O filme inclusive estava baseado nisso, ao mostrar um velho Logan, cuidando de Charles Xavier depois que uma tragédia que se abateu sobre os X-Men e deixou a maioria deles morta. Esse ponto do enredo foi importante para conduzir Logan e Charles pelo resto do filme, e Mangold revelou durante o evento que estava bastante surpreso com o fato de ter acontecido sem interferências conforme ele planejou.

Naquele momento, antes da aquisição feita pela Disney, a Fox controlava todos os projetos envolvendo a franquia. Mangold disse que era importante para o desenvolvimento do personagem de Charles em Logan fazer a tragédia realmente doer. Logo após X-Men: Days of Future Past e seu final feliz para a geração original dos atores de X-Men, certamente doeu.

“Eu nunca pensei que seguiria adiante com a ideia de que Charles acidentalmente matou os X-Men quando ele sofreu um ataque de demência, mas eu senti que precisava haver uma profunda tragédia por trás deles. Sinto gratidão pela bravura da Fox e do público por abraçar a ideia”, escreveu ele.

Talvez a Fox tivesse se negado a realizar algo assim não fosse o sucesso de Deadpool, como filme de herói classificado para maiores de 18 anos. Mangold inclusive, chegou a usar esse argumento para convencer os executivos da companhia de que era a melhor forma de finalizar o enredo do Wolverine pela carga emocional que ele carregava. O filme rendeu a Mangold uma indicação ao Oscar por Melhor Roteiro adaptado em 2018