Jennifer Aniston fala das dificuldades que enfrentou em The Morning Show

Jennifer Aniston em The Morning Show (Imagem: Divulgação)

Uma série de sucesso absurdo como Friends é ao mesmo tempo uma benção e uma maldição. Maldição porque muito provavelmente pelo resto da vida seus protagonistas serão conhecidos por um único personagem. Esse é o caso de Jennifer Aniston com sua icônica Rachel Green, porém tudo indica que The Morning Show poderá mudar a percepção de muita gente.

Aniston, que interpreta a apresentadora de talk show matinal Alex Levy, conversou com a Entertainment Weekly sobre as dificuldades do novo projeto, admitindo que até pouco tempo atrás não estaria preparada para encarar o desafio.

Essa personagem não poderia ter aparecido em qualquer momento a não ser agora. É um dos trabalhos mais difíceis que já tive. Eu sabia que era capaz, mas existe a escavação de todas as emoções necessárias para criar o mundo dessa mulher. Eu saía de algumas cenas sentindo como se um peso enorme tivesse saído das minhas costas”, revelou.

No drama, Alex fica chocada ao descobrir, assim como todos na emissora, que o colega de trabalho Mitch Kessler, vivido por Steve Carell, foi demitido sob acusação de assédio sexual. Além de ter que dar a notícia em rede nacional, ela precisará enfrentar a suposta atitude do amigo de anos, e também renegociar seu contrato com o canal.

Espelho

A exposição enfrentada pela apresentadora é algo que a atriz conhece bem: “Eu entendo isso, com a relação que as pessoas tem com Friends. Eu entendo o isolamento, não querer ser vista, sair em público, não querer estar em um tapete vermelho. Nem sempre é fácil sair e ser a pessoa que você precisa ser”, desabafou.

Ao que parece, os fãs não terão no que reclamar: “Eu adorei a atuação dela em ‘Cake’, o quão honesta ela foi, e eu acho que as pessoas vão se sentir da mesma forma sobre a série, porque ela encontrou uma verdade que é muito real e muito crua”, adiantou a colega de elenco Reese Witherspoon.

The Morning Show estreia no Apple TV+ dia 1 de novembro.

Cresceu vendo filmes ao invés de brincar na rua. Fã de ir ao cinema sozinha. Críticas e notícias sobre o mundo do entretenimento.