Jessica Chastain lidera equipe poderosa de espiãs no trailer de The 355

Diane Kruger e Jessica Chastain em The 355 (Imagem: Reprodução/ YouTube/ Universal Pictures)

Se Jessica Chastain sozinha já é um sucesso, junto com Diane Kruger, Lupita Nyong’o, Penélope Cruz e Bingbing Fan tem tudo pra ser explosivo. O quinteto forma uma equipe poderosa de espiãs no suspense de ação The 355. O primeiro trailer, divulgado pela Universal Pictures, anuncia um mundo cheio de caos, onde essas mulheres parecem ser a grande solução. No longa, Chastain interpreta uma espiã americana, que lidera um grupo de elite de agentes femininas de todo o mundo. Elas se unem para impedir que uma organização lance um plano maligno que causaria uma grande problema global.

Confira:

O filme de suspense e ação conta com a direção de Simon Kinberg (The Twilight Zone) e roteiro de Theresa Rebeck (Smash). Na trama de espionagem mundial, quando uma arma ultra secreta cai em mãos erradas, a agente da CIA Mace (Chastain) precisa unir forças com a agente alemã rival Marie (Kruger), com a aliada do MI6 e especialista em computação de ponta Khadijah (Nyong’o) e com hábil psicóloga colombiana Graciela (Cruz). Nessa missão letal, Mace ainda precisa ficar um passo a frente da misteriosa Lin Mi Sheng (Fan).

Sebastian Stan e Edgar Ramírez completam o elenco.

The 355 será lançado em 15 de janeiro de 2021 nos Estados Unidos.

The 355 (Imagem: Divulgação/ Universal Pictures)

 

Por trás do filme

Em entrevista concedida à Empire, Jessica Chastain contou que o nome do filme faz uma importante referência à vida real. “355 era o codinome da primeira espiã durante a revolução [americana]”, explicou. “Ninguém sabe qual é o nome dela: tudo o que sabemos sobre ela é que ela era ‘355’. Portanto, as mulheres de hoje usam esse apelido 355 como um distintivo de honra e um lembrete de que há pessoas fazendo o trabalho nos bastidores que não são reconhecidas. E eles precisam ser valorizadas”.

A atriz ainda falou sobre o desafio de fazer um longa que exige mais dela fisicamente. “Eu não tinha percebido a altura do prédio quando [eu estava dizendo] ‘Eu quero fazer, eu quero fazer isso!'”, lembra. “Nosso grande coordenador de dublês, Jimmy, disse: ‘Ei, você não precisa fazer isso’, mas eu podia sentir toda a equipe olhando para mim e eu estava tipo, ‘Estou fazendo isso’. E foi muito divertido”.

Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), apaixonada por literatura, cartas e pela magia do cinema. Escritora de histórias e trajetos dos amores.