John Boyega coloca a boca no trombone e detona Disney; saiba o motivo

Jannah (Naomi Ackie) e Finn (John Boyega) em Star Wars: A Ascensão Skywalker (Imagem: Divulgação/ EW))

Confusão e gritaria. O ator John Boyega resolveu colocar a boca no trombone e falar sobre seu descontentamento com a Disney e a forma como seu personagem foi retratado na franquia Star Wars. Segundo o ator, ele foi descartado para servir de palco para seus colegas brancos, Daisy Ridley e Adam Drivers, já que a casa do Mickey Mouse anunciou os outros personagens nas campanhas de marketing como muito mais importantes do que eles realmente eram.

“Você se envolve em projetos e não necessariamente vai acabar gostando de tudo. [Mas] o que eu diria para a Disney é não trazer à tona um personagem negro, comercializá-lo para ser muito mais importante na franquia do que é e, em seguida, colocá-lo de lado. Não é bom. Vou dizer isso sem rodeios”, revelou em uma entrevista que está repercutindo em toda a mídia internacional.

Ele ainda contou que Daisy Ridley e Adam Drivers, tiveram personagens muito mais complexos que ele ou Kelly Marie Tran, atriz que é descendente de vietnamitas. “Vocês sabiam o que fazer com Daisy Ridley, vocês sabiam o que fazer com Adam Driver. Vocês sabiam o que fazer com essas outras pessoas, mas quando se tratava de Kelly Marie Tran, quando se tratava de John Boyega, vocês souberam ferrar com tudo. Então o que você quer que eu diga? O que eles querem que você diga é: ‘Gostei de fazer parte disso. Foi uma ótima experiência…’ Não, não, não. Aceito esse negócio quando for realmente uma ótima experiência. Eles deram todas as nuances a Adam Driver, todas as nuances a Daisy Ridley. Sejamos honestos. Daisy sabe disso. Adam sabe disso. Todo mundo sabe. Não estou expondo nada”.

Ainda segundo ele, a Casa do Mickey Mouse, ainda não sabe como tratar um ator negro, o que fez com seu nome chegasse ao topo dos trend topics no Twitter. “Essas conversas e tudo que estou compartilhando não é uma caça às bruxas. É tentativa de jogar luz sob algo que na raiva pode ser visto como egoísta, perturbador e auto-indulgente. Obviamente, na esperança de uma mudança melhor. Em resumo. Eu disse o que disse. Amo todos vocês a sério. Seu apoio é incrível”, escreveu ele na rede social.