John Krasinski rebate comentário que Um Lugar Silencioso seja um filme político

John Krasinski
John Krasinski (Reprodução)

John Krasinski certamente é um cara que está acumulando trabalhos. Formado em artes cênicas pela Brown University, o ator ganhou projeção internacional como Jim, na série de comédia The Office, que terminou em 2013, e hoje além de atuar como o protagonista em Tom Clancy’s Jack Ryan, da Amazon, ele atua, escreve e dirige Um Lugar Silencioso – Parte 2, que tem estreia agendada para a segunda semana de março.

O primeiro filme alcançou o sucesso absoluto com uma aprovação de 95% no Rotten Tomatoes, porém alguns jornais na época de seu lançamento publicaram que a história era puramente política, algo que o autor discorda completamente. Krisinky e Blunt tinham acabado de ter sua primeira filha quando ele começou a trabalhar no roteiro do longa, e sua ideia era mostrar tudo aquilo o que os pais poderiam fazer para proteger seus filhos e sua família.

O filme mostra um mundo apocalíptico dominado por monstros atraídos pelo som, então, uma família tenta se proteger se escondendo em um lugar rural de qualquer tipo de ameaça. Um colunista no jornal The New Yorker, afirmou que o filme era regressivo ao mostrar uma família branca se protegendo com armas, mas John diz que seu objetivo não era esse e não tem interesse em discutir a leitura de seu filme sob qualquer inclinação política.

“Não se tratava de um período silencioso e político, não tinha nada a ver com isso. Era sobre você entrar no escuro e se arriscar quando toda a esperança parece perdida. Você luta pelo que é mais importante para você. Mais uma vez, toda a minha metáfora era exclusivamente sobre paternidade”, começou.

“Se o primeiro filme é sobre paternidade e a promessa que você faz aos seus filhos de mantê-lo seguro, não importa o que seja – isso é inevitavelmente uma promessa falsa. O segundo filme diz respeito a essa promessa ser quebrada e a crescer, seguir em frente e lidar com as perdas. Para mim, esse filme inteiro se torna sobre comunidade. É sobre quem você confia nos tempos sombrios e o poder de confiar em outras pessoas nos tempos sombrios”, finalizou em entrevista à revista Esquire.

 

Comentários