Johnny Depp perde processo de difamação contra jornal britânico

Amber Heard e Johnny Depp
Amber Heard e Johnny Depp (Reprodução)

Johnny Depp saiu perdedor no processo de difamação que moveu contra o tabloide britânico The Sun, que o acusava de espancar sua ex-mulher, Amber Heard. O resultado saiu nesta segunda-feira, 02 de novembro.

O julgamento do caso que começou em julho foi explosivo e durou cerca de três semanas escandalizando aqueles que acompanhavam devido aos inúmeros ataques mútuos por parte do ex-casal.

O juiz responsável pelo caso, Andrew Nicol foi quem proferiu sua decisão após três meses. “O reclamante não teve sucesso em sua ação por difamação”, escreveu o profissional explicando que o jornal The Sun conseguiu provar que o que havia publicado era “substancialmente verdadeiro”.

Depp processou o jornal, e seu editor, Dan Woothon por causa de uma manchete de 2018 em que ele era chamado de ‘espancador de mulheres”, devido às alegações de Amber Heard sobre seu comportamento.

Johnny Depp
Johnny Depp nos primeiros dias de julgamento (Reprodução/ Twitter)

No tribunal o astro de Piratas do Caribe alegou que foi criado como um cavalheiro do sul dos Estados Unidos, e jamais colocaria um dedo sequer em uma mulher.

Ao mesmo tempo, ele acusou a atriz de ser uma aproveitadora, que usou seu casamento para ascender em Hollywood, dizendo ainda que ela era viciada em fama, explicando que sofreu diversos abusos físicos e psicológicos por parte dela. Heard inclusive teria falsificado fotos para incriminá-lo.

“Ela entrou na minha vida para tirar de mim qualquer coisa que valesse a pena e depois destruiu o que restava”, disse o ator de 57 anos.

Principal testemunha do The Sun, Amber Heard chamou Depp de monstro embriagado, relatando sua confusão mental e vício em drogas.

Ele por sua vez teve diversos depoimentos de ex-funcionários a seu favor, e contou sobre uma série de agressões que sofreu durante três dias seguidos em uma casa alugada por ele na Austrália, exibindo inclusive fotos de quando a estrela de Aquaman teria arrancado seu dedo.

Imagens exibidas de Johnny Depp recebendo atendimento na Austrália com dedo cortado
Imagens exibidas de Johnny Depp recebendo atendimento na Austrália com dedo cortado (Reprodução/ Fox News)

Ela por sua vez rebateu a acusação, dizendo que ele se cortou ao ter um ataque de fúria e destruir um telefone, e para assustá-la, teria urinado em todas as paredes, e escrito mensagens de ódio nos espelhos usando seu próprio sangue, que não parava de jorrar do dedo recém decepado.

Ela disse que Depp tinha ciúme de sua amizade com outros atores de Hollywood, e a acusou de ter um caso com Leonardo Di Caprio, James Franco e Elon Musk (com quem a atriz namorou posteriormente), e com isso, a impedia de conseguir alguns papéis, sobretudo aqueles em que ela precisaria aparecer nua.

Para completar, foram exibidas no tribunal fotos do cocô que teria sido feito por Amber Heard e seus amigos na cama de Depp, como forma de brincadeira, e que para ele segundo suas palavras, significaram o fim definitivo da relação.

Fotos das fezes encontradas na cama de Johnny Depp e Amber Heard (Reprodução)

Mesmo que o The Sun tenha saído vencedor, a batalha entre Depp e Heard está longe de acabar, já que existem pelo menos outros dois processos que um move contra o outro, desta vez, nos Estados Unidos.

ankara escort