Joss Whedon abandonou o filme da Batgirl. A Warner/DC tem culpa nessa decisão?

A Warner Bros. e a DC seguem juntas… batendo cabeça.

A saída de Joss Whedon do projeto do filme sobre a Batgirl é apenas mais um estranho episódio no histórico da Warner/DC com os realizadores dos seus filmes. Em linhas gerais, o criador de Buffy não encontrou o tom ideal para o personagem. Mas… até quando ele realmente não encontrou?

Pergunto isso porque ficou comum ver os executivos da Warner/DC se envolverem tanto no processo criativos dos filmes, que os resultados finais foram, no mínimo, questionáveis (quando não eram desastrosos). Muito provavelmente Whedon em um ano envolvido nesse projeto percebeu como a banda iria tocar, e pulou fora antes disso.

Essa saída também reforça o levantar de dúvidas sobre a inviabilidade da versão de Zack Snyder do seu Liga da Justiça. Agora sabemos que Snyder foi demitido antes do filme acabar porque, de acordo com envolvidos no processo, sua versão do filme era ‘impossível de ser assistida’.

OK, eu mesmo não gosto do trabalho do Zack Snyder. Mas acho também impossível um filme ser tão ruim a ponto de não ser visto de jeito nenhum. Como também acho bizarra a possibilidade de Snyder se valer de uma tragédia pessoal para ocultar uma demissão.

Ao ver tudo isso, e somado com as dificuldades naturais que esse processo criativo envolve, Joss Whedon pode muito bem ter pulado fora por entender que jamais conseguiria trabalhar bem nessas condições.

Há quem diga que Whedon também saiu por conta de ser um homem dirigindo um filme onde a mulher é a protagonista, e isso iria gerar uma saraivada de críticas dos mais engajados.

Bom… aí eu entendo que ele já deveria ter imaginado que isso poderia acontecer. Nem precisa ser Sherlock Holmes para deduzir que tal cenário é mais que provável nos dias de hoje.

Mas prefiro acreditar na primeira teoria: Joss Whedon viu que na Warner/DC está tudo uma bagunça, e decidiu não se queimar por causa disso.

 

Via THR

bostancı escort