Joss Whedon, de Vingadores, elege a melhor coisa que já fez como roteirista e diretor

Joss Whedon dirigindo episódio de Buffy
Joss Whedon dirigindo episódio de Buffy (Reprodução)

Saindo do mundo dos super-heróis, onde ele esteve envolvido nos últimos anos com os filmes Vingadores e Liga da Justiça, Joss Whedon resolveu relembrar outra de suas grandes obras: Buffy, a Caça-Vampiros. A série que teve início nos anos 90 foi criada por ele, e o cineasta escolheu qual o melhor episódio que já fez.

A série ficou no ar por sete temporadas antes de chegar ao fim, e estrelou Sarah Michelle Gellar como protagonista, além de contar com Alyson Hannigan, Nicholas Brendon, Anthony Stewart Head, e David Boreanaz, que ganhou chegou a ganhar seu próprio spin-off como Angel. Sucesso naquele tempo, Buffy virou sinônimo da cultura pop sendo estudado por seu impacto, e acabou gerando quadrinhos, videogames, e vários outros produtos.

Joss Whedon conversou com o jornal Metro para discutir qual o melhor episódio da série, e elegeu, The Body, da sexta temporada, que começa com a personagem principal voltando para a casa e encontrando sua mãe morta no sofá. As cenas seguintes são todas emocionais das recorrências direta desta perda. Segundo o diretor, esses momentos em tela falaram muito sobre sua tristeza pessoal e experiências advindas da perda.

“Minha mãe morreu quando eu tinha 27 anos em um acidente de carro, mas eu realmente não pensava em usar isso [a experiência] até a terceira temporada. The Body é provavelmente a melhor coisa que eu fiz e a melhor que vou fazer para sempre, e estou bem com isso. Você sabe, existem epitáfios piores”, disse ele.

O autor também afirma que queria contar uma história sobre a simples tristeza sem incluir as excentricidades sobrenaturais comuns do programa, tentando inclusive evitar lições de moral ou senso de catarse, por isso optou por um episódio cru, sem trilha sonora, jogando toda a responsabilidade emocional nas costas da protagonista, que conforme ele, dominou o episódio.