Kenneth Branagh diz que acredita na importância de Tenet, e revela ‘mania’ de Christopher Nolan

Kenneth Branagh (Divulgação)

O ator e diretor Kenneth Branagh está estreando seu novo filme Artemis Fowl: O Mundo Secreto no Disney+, plataforma de streaming da Disney e resolveu falar sobre outro lançamento que chegará em breve: Tenet, longa dirigido por Christopher Nolan, e protagonizado por John David Washington e Robert Pattinson. Ele disse que todos os estúdios estão atentos em como o filme vai performar.

Tenet será o primeiro grande filme a ser lançado no mundo pós pandemia. E embora muitos especialistas acreditem que ainda é cedo para colocar um filme em cartaz nos cinemas, sabendo que em julho, a pandemia ainda estará acontecendo e as pessoas ainda estarão amedrontadas, a Warner Bros., escolheu se arriscar.

“A pandemia e nosso movimento em direção a esse desenvolvimento mais recente são simbolizados pelo retorno de um grande número de pessoas a todas as distâncias, mas ainda assim participam de uma experiência comunitária em grupo de uma peça de entretenimento. Isso é um grande negócio agora, é importante. Parece que o que posso dizer é que Tenet é um filme que vale a atenção do público. Todas as outras empresas de cinema estão olhando com interesse real, para dizer o mínimo, porque também combina exclusivamente com a marca incomum de [Nolan]. Um cineasta que sabe fazer um sucesso com o público. Então, se ele está em boa forma, a indústria cinematográfica recebe isso como um belo pontapé na direção de algo próximo do normal”, opiniou.

Branagh também está em Tenet, como ator, e contou que recebeu a proposta para fazer o filme, assim como o roteiro de uma forma que acontece cada vez menos nos dias atuais: Direto das mãos do diretor: “Bateram na porta, fui abrir, lá estava Nolan com um envelope embaixo do braço dizendo ‘Vim entregar o roteiro a você’. Não tinha como ser mais pessoal que isso. Perguntei quando voltaríamos a falar sobre isso, e ele respondeu ‘Daqui 24 horas te ligarei e discutiremos. Seria bom se guardássemos para nós mesmos’. Foi um aperto de mãos como um nível de confiança”.

Sobre muita gente não ter ideia de sobre o que se trata o filme, ele explicou que faz parte da mágica de Nolan. Cada ator recebeu determinadas páginas, que eram trocadas de tempos em tempos pelo produtor. “Eu nunca posso ter um roteiro de Nolan que não esteja bem escondido na minha bolsa. Se você for viajar por exemplo, se certifique mais que o roteiro esteja seguro do que seu próprio passaporte. Você pode até ficar preso em algum país como Estônia, mas jamais perder esse roteiro”, disparou.