Kenneth Branagh fala dos esfeitos práticos em Artemis Fowl

Cena do trailer Artemis Fowl: O Mundo Secreto (Foto: Reprodução / Disney)

Artemis Fowl: O Mundo Secreto chegou ao Disney+ neste fim de semana. O longa metragem adapta dois dos livros escritos por Eoin Colfer e conta história de um garoto de 12 anos super inteligente e com uma habilidade especial para roubar. Como um bom filme de fantasia, é recheado por trolls, anões, fadas e lugares incríveis, e claro, em um filme assim são esperados muitos efeitos especiais. Porém em uma entrevista para o Cinema Blend, o diretor Kenneth Branagh revelou que tentou usar o máximo de efeitos práticos possíveis.

“Acho que, para mim, não facilita as coisas, mas as torna diferentes”, começou Branagh. “E se você puder criar, todo tipo de emoção que apareça no set (…). Há algo sobre o que isso faz na atmosfera, com os atores e a equipe e tudo o que talvez eu goste de reter nessas aventuras cinematográficas seja exatamente esse acontecimento inesperado. Que existe quando não é muito tecnicamente dominado. Não é para dizer que não reverencio e abraço todo tipo de avanço tecnológico. Mas se parte do que você está fazendo é após esse tipo de fragilidade humana, essa imperfeição humana, essa excitação humana, às vezes erros são erros felizes [que são] cometidos quando há excitações. Sai deles”.

Para exemplificar melhor, o diretor contou sobre um das primeiras cenas gravadas com Ferdia Shaw, que interpreta o protagonista, onde ele flutua para pegar alguns adereços. “Nesse caso, Ferdia Shaw sendo levado para o set pela primeira vez, e como naquela linda estante atrás de você, fazendo com que ele se aproxime e veja que todos os livros são os mesmo que selecionamos quando ensaiamos seis meses atrás. E todo tipo de detalhe da sala. Eu vi seu rosto se iluminar, eu poderia ter visto [seu rosto] sendo preenchido com mais de seu personagem naquele encontro com aquele cenário real, não com aquele pedaço de tela azul, realmente afetou significativamente a maneira como ele iria desempenhar esse papel”.