Kevin Costner explica o apelo de Yellowstone e o que atrai as pessoas

Yellowstone (Foto: Divulgação / Paramount)
Yellowstone (Foto: Divulgação / Paramount)

A série Yellowstone voltará com sua terceira temporada no dia 21 de junho, e Kevin Costner deu uma entrevista para o Ellen K Morning Show para divulgar o novo ciclo do drama da Paramount Network. Durante a conversa, Costner comentou o que atrai o público para a série e o que motiva a ter um grupo estável de fãs.

“Mas, como um petisco interno, a Bitter Root era o mesmo vale que Lewis e Clark desceram em 1803, quando eles estavam explorando o país. Era como o Jardim do Éden. E isso não se perde comigo todos os dias , entender e pensar em como era ir para o desconhecido, sem entender para onde você está indo. E seguir para o Oceano Pacífico. Escute, eu não gosto de dramas de tribunais. Às vezes gosto de escrever, mas prefiro estar onde estou. Acho que muitas pessoas estão experimentando isso com Yellowstone”.

Yellowstone estreou em junho de 2018. A trama mostra John Dutton tentado proteger seu rancho, o maior dos Estados Unidos, que vive sob ataque daqueles que fazem fronteira com corruptos, reservas indígenas, e o primeiro Parque Nacional dos EUA. O elenco conta com Kevin Costner, Luke Grimes, Kelly Reilly, Wes Bentley e Cole Hauser.

No IMDb, Yellowstone conquistou a nota 8,4 / 10, enquanto no Rotten Tomatoes tem 69% de aprovação da crítica e 88% de aprovação do público. Confira abaixo alguns comentários sobre a segunda temporada:

“Há algo profundamente desconcertante na sangrenta e às vezes brega série ocidental de Kevin Costner … É realmente um mundinho repulsivo em que os criadores da série, Taylor Sheridan e John Linson, tentam nos atrair” – Brad Newsome, Sydney Morning Herald.

“O episódio desta semana de Yellowstone mantém as coisas discretas, ou seja, quando Yellowstone de Taylor Sheridan está no seu melhor, evitando os grandes dramas exagerados em favor de momentos mais sutis dos personagens” – Dustin Rowles, Pajiba.

“A estreia precisa captar quase todos os tópicos e puxar para onde for, a fim de lembrar aos espectadores quem está fazendo o quê, onde e por quê … Com um programa tão cheio como esse, resulta em um trabalho lento e às vezes doloroso” – Andrew Husband, Den of Geek.