Kirsten Dunst abre o coração e faz tristes afirmações sobre sua carreira em Hollywood

Kirsten Dunst em “On Becoming a God in Central Florida” (Showtime/Reprodução)

Quem pensa que a vida das atrizes de Hollywood é um constante mar de rosas, se engana. Kirsten Dunst está aí para provar que as aparências quase sempre enganam e que a indústria do cinema não perdoa ninguém. Em recente entrevista, ela fez revelações bombásticas sobre a indústria da qual faz parte desde criança.

Kirsten esteve presente no programa de rádio Sirius XM apresentado por Larry Flick, e assumiu se sentir excluída de Hollywood. “As pessoas gostam de dizer, ‘Lembra quando Maria Antonieta foi lançado e as pessoas detestaram?’. Agora elas amam. ‘Lindas de Morrer’? Odiaram. Agora todos amam. É interessante pra mim“.

E ainda: “Sinto que muitas das coisas que eu faço as pessoas só passam a gostar depois. Eu nunca fui reconhecida pela minha própria indústria. Nunca foi nomeada a nada. Talvez à um Globo de Ouro quando eu era criança e um vez por ‘Fargo'”.

A atriz admitiu não compreender porque continua a ser esnobada: “Talvez eu não saiba como jogar o jogo [de Hollywood]. Quer dizer eu fiz tudo que deveria fazer. Não é como se eu não fizesse publicidade ou algo assim. Eu sei que tudo que nós temos no fim do dia é o trabalho, e isso é tudo com o que as pessoas se importam. Sou inteligente o suficiente e tenho perspectiva, mas às vezes penso, ‘Seria legal ser reconhecida pelos meus colegas'”.

Entrando para a história

Curiosamente, Dunst recebeu recentemente uma estrela na Calçada da Fama, evento no qual esteve presente, entre outros convidados, a diretora Sofia Coppola, com a qual a atriz trabalhou em diversos projetos, e que aproveitou a ocasião para homenageá-la. Kirsten está atualmente no canal Showtime com a série “On Becoming a God in Central Florida”.

Cresceu vendo filmes ao invés de brincar na rua. Fã de ir ao cinema sozinha. Críticas e notícias sobre o mundo do entretenimento.

bostancı escort