Lanterna de Ouro estreia nas quadrinhos da DC Comics

Lanterna de Ouro (Divulgação / DC Comics)
Lanterna de Ouro (Divulgação / DC Comics)

Mais um espectro de cor se juntou aos guerreiros Lanterna para deixar os quadrinhos mais coloridos, e o Lanterna de Ouro fez sua estreia na DC Comics (via Comic Book). Por algum tempo Brian Michael Bendis veio provocando que novidades iam chegar nos quadrinhos da DC, inclusive há algumas semanas publicou em seu Instagram a primeira imagem no novo herói.

Então, o Lanterna de Ouro fez sua estreia nesta semana em Legion of Super-Heroes #6, onde o Superboy estava tendo dificuldades para enfrentar alguns inimigos e então ele surge repentinamente para ajudá-lo. Um das diferenças notadas no Lanterna de Ouro para os outros Lanternas, é que ele utiliza dois anéis, um para voar e outro para ter poder. Apesar de sua cor parecer com o da Tropa Sinestro, que usam a cor amarela simbolizando o medo, o Lanterna de Ouro tem pouco a ver com o vilão e está mais para o lado dos Lanternas Verdes, que simbolizam a Força de Vontade. Além disso, o novato parece o encarregado desta galáxia.

Brian Michael Bendis ainda relatou que a história de origem de do Lanterna de Ouro será épica, mas para isso teremos que esperar as próximas edições. No ano passado, Bendis deu uma entrevista ao site Comic Book onde falou sobre a criação do novo personagem.

Ele disse: “Literalmente, levou meses apenas para projetar os personagens, e [Ryan Sook] está trabalhando nisso todos os dias. Entrei em contato com ele e vendi essa enorme insanidade que você vê à sua frente. E eis que era exatamente isso que ele estava procurando o maior desafio, e ele aceitou imensamente”.

“Minha coisa favorita deste ano que ninguém sabe é que Ryan envia todos esses designs – geralmente com um panfleto de notas e idéias de personagens – e ele está realmente criando isso conosco. Outros colegas e eles ficam impressionados, é fantástico. Ryan é um artista, eles o amam, e este é o trabalho de sua vida. Estou tão honrado por fazer parte disso. Então, sim, Ryan foi uma parte muito precoce disso”.