Linda Cardellini revela se voltaria a interpretar Laura Barton no MCU

Linda Cardellini e Jeremy Renner em Vingadores: Era de Ultron (Imagem: Divulgação/ Marvel)

Conhecida por atuar em produções como Scooby-Doo, Green Book: O Guia, Disque Amiga para Matar e, recentemente, Capone, Linda Cardellini assumiu o papel de Laura Barton, a esposa de Clint/ Gavião Arqueiro (Jeremy Renner), em Vingadores: Era de Ultron. Já em 2019, reprisou a personagem em Vingadores: Ultimato, o filme de maior bilheteria de todos os tempos.

Em entrevista concedida ao Collider, para divulgar o seu novo filme Capone e a segunda temporada de Disque Amiga para Matar, série da Netflix que ela estrela junto com Christina Applegate, Cardellini foi questionada sobre a possibilidade de retornar ao MCU. Apesar de achar difícil, a atriz demonstrou interesse em fazer parte de uma nova produção da Marvel.

“Quero dizer, você sabe, foi uma daquelas coisas em que fui levada ao universo e realmente é o seu próprio universo. É sua própria entidade, com esse fandom que é incrível, e fazer parte disso é, eu não sei, é muito divertido”, disse. “Os amigos da minha filha adoram. É um desses tipos de coisas, sabia? Portanto, é sempre divertido. Quero dizer, eu adoraria ver um filme de Laura Barton? Claro! Mas acho que isso não vai acontecer. Acho que as pessoas estão mais interessadas nos super-heróis”.

Linda Cardellini também é lembrada por seu papel de Lindsay Weir em Freaks and Geeks, a aclamada série de comédia dramática da NBC criada por Paul Feig (Missão Madrinha de Casamento) e exibida no final dos anos 90. Sobre a possibilidade de uma reunião do elenco, a atriz afirma que toparia se os demais atores concordassem, mas explicou a dificuldade de abordar a mesma história e seguir o tom original da série agora. “Se todos estivessem nela, com certeza. Mas isso depende”, disse.

Cardellini acrescentou: “As pessoas estão em muitos lugares diferentes em suas vidas, e acho que, mais do que tudo, teria que ser sobre o material. Quero dizer, esqueça se algum de nós está disposto ou não a fazê-lo, acho que você recebe algo que é bom o suficiente, acho que todos os envolvidos são inteligentes o suficiente para perceber quando algo é muito bom. Eu acho que é difícil porque Freaks and Geeks foi em uma época em que você era adulto e criança, e quão estranho e doloroso isso é, e quão gigantescos esses problemas parecem e, quando você cresce com eles, percebe que há um número tão maior vida em torno desse momento no tempo. Então, acho que há uma inocência e uma fragilidade nesse período da sua vida que acho que pode ser mais difícil explorar o mesmo tipo de comédia quando elas são mais velhas”.