Com mais concorrência, Netflix elege maior rival e impõe meta ambiciosa

Reed Hastings
Reed Hastings (Divulgação)

O co-fundador da Netflix, Reed Hastings, lançou esta semana seu livro No Rules Rules: Netflix and the Culture of Reinvention, que fala sobre o mercado do streaming, e como suas práticas incomuns como banir o sistema de férias da empresa, ou mesmo compartilhar os frutos de seus resultados com os funcionários o levaram a ter sucesso no negócio.

Em entrevista ao The Hollywood Reporter, ele assume: sua maior rival é a Disney, e segundo ele, o novo objetivo da gigante do streaming é derrotar a casa do Mickey Mouse. A maneira como ele pretende fazer isso pode causar uma certa surpresa!

Queremos vencer a Disney na animação familiar. Isso vai demorar um pouco. Quer dizer, eles são muito bons nisso. Estamos ambos muito focados em construir nosso grupo de animação e, você sabe, é uma competição amigável. Ambos queremos fazer histórias incríveis para os consumidores e queremos ser capazes de elevar o nível nessa área. Sabemos que eles serão desafiadores e competidores nos próximos 50 anos”, disparou.

Como a pandemia transformou a rotina da Netflix

Ele ainda explicou como a empresa lidou com a pandemia causada pelo coronavírus que mudou completamente a forma como as pessoas consomem entretenimento atualmente. “O COVID-19 foi uma catástrofe para nossos funcionários, assim como para todas as organizações. Estamos todos fazendo sucesso. É incrível o sacrifício de nossos funcionários que têm filhos em casa, nossos funcionários solteiros que estão se sentindo tão sozinhos. Esperamos que não haja lições importantes com isso, porque esperamos que não haja mais pandemias”, disse ele.

Hasting abordou durante o bate-papo, os boatos que surgiram sobre a Netflix querer comprar uma rede de cinemas, já que de acordo com a lei americana, agora os estúdios terão direito a fazer suas próprias redes de cinema, e distribuírem seus filmes por conta própria, e só depois de algum tempo fazerem acordos com outras redes como Cinemark: “Não consigo nos ver fazendo rede ou expandindo nos cinemas. Queremos realmente focar no entretenimento na Internet e tentar apenas continuar a melhorar nossas séries, nossos filmes para torná-los os melhores do mundo”.