Mães católicas querem boicotar série animada da Disney

The Owl House (Imagem: Divulgação / Disney)

No mês passado estreou The Owl House, nova série animada da Disney. O desenho segue as aventuras de Luz Noceda, que atravessa um portal e fica deslumbrada com a bruxa Eda, a Dama Coruja. A partir daí, Luz decide se tornar uma bruxa mesmo sem ter poderes. Segundo o site UOL, mães católicas dos EUA querem que a animação saia do ar e até fizeram um abaixo assinado para que isso aconteça.

Segundo o documento, elas justificam que o desenho animado retrata “o inferno e os perigos do reino demoníaco. Até as prévias e os comerciais incluem esse conteúdo que dificulta às famílias que assistem ao Disney Channel evitar completamente o conteúdo maligno”. O Grupo One Million Moms já conseguiu arrecadar cerca de 16 mil assinaturas.

Não é a primeira vez que o grupo tenta retirar um desenho da Disney do ar, Star vs. As Forças do Mal e Toy Story 4 já sofreram boicote, assim como produções do Cartoon Network, como Meninas Superpoderosas e Steven Universo, que lidam constantemente com questões de gênero e quebra de padrões.

No caso de Toy Story, as mães tentaram boicotar o filme por conta de umas das colegas de Bonnie ter sido deixada na escola por suas duas mães. Em uma carta, o grupo afirmou: “Muitas famílias possivelmente planejam ver o filme, se já não viram, e podem não perceber essa sútil, mas óbvia promoção do estilo de vida LGBTQ”.

No Brasil casos assim também aconteceram, um deles foi quando Frozen estreou nos cinemas e diversas fake news sobre Elsa ser lésbicas se espalharam, fazendo com que muitas mães desistissem de levar seus filhos para ver o filme. Com Star vs. As Forças do Mal, quem quis boicotar o desenho foi o pastor Silas Malafaia, pois em um dos episódios foi mostrado um beijo gay.