Matt Bomer faz homenagem a autor de história que mudou sua carreira para sempre

Matt Bomer em White Collar (Divulgação)

Matt Bomer não poderia estar mais agradecido. O protagonista de White Collar só foi levado a sério como um ator dramático ao interpretar o personagem Felix, na adaptação de Ryan Murphy de The Normal Heart, que foi exibido pela HBO em 2015. O ator chegou a ganhar um Globo de Ouro naquele ano por sua atuação, e nesta quarta-feira, 27 de maio resolveu homenagear Larry Kramer, autor de peça que deu origem ao telefilme.

Larry Kramer, faleceu aos 84 anos nessa semana, era conhecido como um grande ativista LGBT, sobretudo tentando conscientizar o público sobre a epidemia do HIV no início dos anos 1980. A causa da morte foi confirmada pelo marido de Kramer ao The New York Times como pneumonia.

“Larry Kramer, obrigado por sua raiva e paixão e por escrever esta história que mudou tantas vidas”, começou Matt Bomer em seu discurso em entrevista à revista Variety. “Eu e muitos outros devemos nossa vida a Larry. Sem sua incansável defesa e franqueza e oposição a tudo o que estava acontecendo e incentivando as pessoas a se educarem e a serem responsáveis ​​por si mesmas, eu, crescendo em um ambiente semi-rural, não teria nenhuma pista sobre a epidemia se não fosse por ele”.

O ator revelou que leu algo feito por Larry pela primeira vez aos 14 anos de idade: “Para mim, foi a primeira vez que alguém realmente se levantou e disse: ‘Você deve se orgulhar de quem você é e deve ser sincero sobre quem é, e você deve ser ousado sobre quem você é e apaixonado por quem você é. Ele era um pioneiro e uma das pessoas mais corajosas que eu já conheci”, disparou.

Ele contou que se encontrou com Kramer pela primeira vez ao interpretar o personagem escrito por ele em The Normal Heart, e que levou cupcakes para ele pois sabia que gostava de doces. “Obviamente, foi muito intimidador. Eu sei que estava nervoso, mas também muito animado e muito motivado. Conseguir que um herói viesse trabalhar e me ver em meu primeiro dia de filmagem foi além de surreal para mim”.

Quando os produtores do filme decidiram que ele iria para a HBO ao invés de ir aos cinemas, Bomer contou que sentiu que era a coisa certa a fazer pois alcançaria mais pessoas, e não ficaria em salas de cinemas a mercê de sair de cartaz antes do tempo, segundo ele, Larry argumentou que como telefilme, Bomer não teria chance de ganhar um Oscar, o que ele rebateu: “Eu disse: ‘Larry, não é por isso que quero fazer isso. Essa história salvou minha vida. Trata-se de conseguir que o máximo de pessoas veja o filme quanto possível. Acho que havia algo sobre isso que eu acho que passou por ele, porque ele sabia que eu queria fazer parte desse projeto pelas razões certas”.