Mesmo com morte de personagem, atriz não descarta retorno ao MCU

Carrie Coon e Proxima Meia-Noite (Divulgação)
Carrie Coon e Proxima Meia-Noite (Divulgação)

Quando um ator ou atriz é escalado para fazer parte do Universo Cinematográfico da Marvel, é presumido que esta pessoa viverá o mesmo personagem, seja em um único filme ou em vários longas. E depois que o personagem dá adeus, as chances do intérprete aparecer em uma nova produção tornam-se remotas.  mas parece que esse não é o caso da atriz Carrie Coon.

Carrie Coon interpretou Proxima Meia-Noite, uma das pupilas de Thanos, em Vingadores: Guerra Infinita e Vingadores: Ultimato, e personagem foi morta nos dois filmes. Mas em uma entrevista para o The Hollywood Reporter, Coon revelou que há planos para ela fazer uma nova aparição nos filmes da Marvel. Isso seria algo plausivel, visto que ela ficou irreconhecível como Proxima Meia-Noite e não atrapalharia o fato dela viver outra personagem.

“Esse é certamente o tipo de conversa em que um agente se envolveria quando tentasse se comprometer com esses empregos”, disse Carrie Coon ao THR sobre a possibilidade de retornar à franquia. “Sim, eles querem algumas garantias verbais de que a possibilidade de trabalho adicional não está completamente fora de questão. Então, sim, com certeza. É como, você sabe, estar no Chicago Fire. Você é morto e não pode voltar para mais um ano. Você quer ter certeza de que temos segurança no emprego, por isso estamos sempre fazendo essa pergunta. Com certeza”.

Experiência solitária

Em 2018, Carrie Coon deu uma entrevista para a Entertainment Weekly onde confessou que atuar nos filmes da Marvel foi uma experiência solitária, pois muitas cenas são feitas isoladas devido aos efeitos especiais para compor sua personagem.

Coon relatou: “A franquia Vingadores é tão enorme, na verdade é muito mais solitária, porque você nunca está atuando com os atores na sala. Robert Downey Jr. chegou seis semanas atrás e pronto esta cena e agora você está entrando e se colocando nela e ele não está lá… Você tem que imaginar a coisa toda, ao contrário de ter um ser humano de carne e osso como Mackenzie Davis [Izzy Gets the F*ck Across Town] na sua frente, em toda a sua bela transparência emocional”.

Formado em administração e psicologia. Adora cartoons, animes e series animadas. Atualmente faz curso de desenho com especialização em cartoons.