Doutor Sono
Doutor Sono, próximo filme a estrear de Mike Flanagan sobre obra do escritor Stephen King (Foto: Divulgação)

Não é de hoje que o diretor Mike Flanagan vem flertando com o universo das obras de Stephen King. Agora, ele está estreando seu mais novo longa, Doutor Sono, uma sequência direta de O Iluminado (1980), dirigido por Stanley Kubrick. Ambos os trabalhos são baseados em obras de King. Entretanto, Flanagan já tem novas ideias pela frente.

Em entrevista ao site CinemaBlend, ele revelou que está pensando em trazer mais uma obra de Stephen King para o cinema. “Stephen King e eu estamos falando ativamente sobre o que vem na sequência. Nós temos uma boa ideia para isso, mas não posso falar sobre o assunto ainda. É bem legal, sim. Espero ter a chance de brincar com esse universo mais uma vez”, disse o diretor.

Vale lembrar que Flanagan e King já trabalharam juntos em Jogo Perigoso, filme de 2017, baseado num romance de mesmo nome do escritor, lançado originalmente em 1992. Enquanto novas informações não surgem sobre o novo e possível trabalho, o público brasileiro vai poder conferir, agora, Doutor Sono, que tem estreia oficial agendada para esta quinta-feira (7).

Embora o novo filme tenha sido muito comentado e o filme seja bem falado até o momento também por conta de O Iluminado, grande sucesso de Kubrick, a crítica parece estar dividida quanto ao filme. Doutor Sono tem, até o fechamento deste texto, 74% de aprovação no agregador de reviews Rotten Tomatoes. Porém, algumas análises não relatam apenas pontos positivos do filme.

Para se ter uma ideia, entre as avaliações, o filme foi caracterizado como “uma bagunça” e desnecessário, quando comparado ao longa dos anos 1980. É o que dizem análises de veículos como a revista Entertainment Weekly e o jornal britânico The Guardian.

“Doutor Sono é uma bagunça. É longo demais, tem um conflito entre uma sobriedade sombria e emoções baratas e loucas. As homenagens ao filme O Iluminado são baratas e sem vergonha. Os sustos são mais engraçados do que assustadores. Dan é um problema. McGregor [o ator Ewan McGregor] costumava ser um ator muito vivo, mas aqui ele está congelado”, disse o analista Darren Franich, da EW.

Peter Bradshaw, do The Guardian, afirmou: “O Iluminado precisava de uma sequência? Bem, ganhamos uma agora, adaptada pelo diretor Mike Flanagan e baseada no livro de 2013 de Stephen King. É mais de meia hora mais longo do que o filme de Stanley Kubrick, mas parece ser mais do que isso – trabalhoso, sem direção e densamente populoso com novos personagens chatos na narrativa, que é muito dividida”.

Comentários

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui