Mistérios Sem Soluções: Repercussão de série faz FBI tomar atitude sobre caso

FBI exumou corpo de Alonzo Brooks, após repercussão da série Mistérios Sem Soluções (Imagem: Reprodução / Netflix)

Após a repercussão de um episódio de Mistérios Sem Soluções, série documental true crime da Netflix, o FBI, a polícia federal dos Estados Unidos, exumou na última quarta-feira (22), o corpo de Alonzo Brooks, morto em 2004, após ir a uma festa no estado americano do Kansas. A audiência da série ajudou na reabertura do caso, que voltou a ganhar atenção após o episódio ir ao ar.

Aos 23 anos, Alonzo Brooks foi dado como desaparecido após ir a uma festa nos arredores de La Cynge, por volta de abril de 2004. Seu corpo foi encontrado semanas depois, no feriado de 1º de maio, já em avançado estado de decomposição. Os investigadores do FBI acreditam que Alonzo e seus companheiros eram os poucos negros que haviam na festa, majoritariamente frequentada por brancos.

Um amigo de Alonzo relatou na época, que o rapaz teria se envolvido em uma confusão durante a festa, após paquerar uma garota que estaria acompanhada. Mesmo após os seus acompanhantes irem embora, a vítima teria continuado no local.

Apesar do corpo ter sido encontrado tempos depois, as botas e o chapéu de Brooks foram encontrados na mesma rua onde teria ocorrido a festa, no dia seguinte. A causa da morte foi listada oficialmente como “inconclusiva”, parentes e amigos, no entanto, sustentam a possibilidade de Brooks ter sido assassinado. 

No episódio em questão, o FBI chega a oferecer cerca de U$ 100 mil dólares como recompensa a quem divulgar informações que esclareçam a morte. Com a reabertura do caso, o FBI investiga a morte de Brooks como “crime de ódio”. 

A série está disponível no catálogo da plataforma de streaming desde o início do mês e a família da vítima contou ao TMZ que com a popularidade, através da série, novas pistas sobre o caso começaram a surgir.