NCIS: Vanessa Ferlito desabafa após rejeição a personagem lésbica

Vanessa Ferlito
Vanessa Ferlito como Tammy Gregorio, na série NCIS: New Orleans (Imagem: Divulgação)

A atriz norte-americana Vanessa Ferlito, famosa por atuar na série de investigação criminal, CSY: NY (2004-2013), tem chocado muita gente  na terceira temporada de NCIS: New Orleans. Na trama, ela dá vida a Tammy Gregorio, uma agente lésbica. A personagem é a primeira homossexual da franquia, e vem sendo rejeitada pelo público conservador da rede CBS, quem vem atacando ferozmente a atriz.

“Eu nem sou lésbica de verdade e recebi tanto ódio!”, desabafou ela. Mesmo sem nenhuma rede social, a artista acabou tendo conhecimento da rejeição sofrida por sua personagem, através de seus colegas de elenco.

Muita negatividade

“Mas meus colegas de elenco me contavam, diziam que tinha muita negatividade. O público não ficou contente, a verdade é essa. Não a aceitaram como lésbica. E isso é ficção, nem consigo imaginar como é na vida real. Fico até emocionada de pensar”, revelou Vanessa.

Mesmo nascida e criada em dos bairros mais populosos e cosmopolita de Nova York, o Brooklyn, Vanessa relatou que nunca tinha percebido o forte preconceito que a comunidade LGBTQ+ sofre. “[Nova York] É um lugar em que tantas culturas se misturam, todo mundo é aceito. Tenho vários amigos gays e nunca tinha pensado neles dessa maneira.  Mas agora vejo que em outros lugares não é assim. O que há de errado com as pessoas? Por que elas se importam tanto com quem os outros amam? Isso me frustra”, comentou a intérprete de Tammy Gregorio.

NCIS: New Orleans é exibido no Brasil pelo canal pago A&E, a exibição ocorre toda sexta-feira, às 22h. O canal revelou que o último capítulo da sexta temporada, será exibido no dia 13 de novembro. Infelizmente a atração policial só está disponível na TV paga, não estando em nenhum serviço de streaming.

Amante das diversas formas de expressão cultural. Viciado em séries, e sempre por dentro das últimas novidades do cinema. Ama dramas e sempre tenta dar uma oportunidade para as fantasias, distopias e os longas de ação e terror.