Netflix não se rende à homofobia e cancela série turca devido a protesto do governo

Netflix logo N
Netflix logo N (Reprodução)

A Netflix se viu numa situação complicada em relação à produção de uma nova série turca, e resolveu cancelar o projeto depois da pressão das autoridades do país para tentar remover um personagem gay. O drama de relacionamentos em oito partes chamado If Only foi anunciado em março e estava previsto para ser produzido pela produtora turca Ay Yapim, com a estrela da Özge Özpirinçci liderando o elenco.

A Netflix resolveu chutar o balde e cancelar tudo depois que os produtores receberam uma negativa para a licença de filmagem na Turquia devido à existência de um personagem gay. Por lá, homossexualidade é considerada um crime, e cidadãos abertamente gays não têm uma vida ‘normal’, como em outras partes do mundo. Em muitos casos, eles recebem após o alistamento militar uma ‘carta rosa’, que faz com que muitas empresas e instituições de ensino não os aceitem.

De acordo com o Financial Times, o criador de If Only, Ece Yörenç, disse ao site de cinema turco Altyazi Fasikul: “Devido à presença de um personagem gay, a permissão para filmar a série não foi concedida e isso é muito assustador para o futuro”. Respondendo a um pedido do jornal estadunidense, um porta-voz do Partido da Justiça e Desenvolvimento da Turquia, Tayyip Erdoğan reconheceu que foram levantadas preocupações sobre o programa. Com isso, a gigante do streaming preferiu cancelar tudo ao invés de ceder às pressões.

Um porta-voz da Netflix não comentou o assunto diretamente, mas disse: “A Netflix continua profundamente comprometida com nossos membros turcos e com a comunidade criativa da Turquia. Estamos orgulhosos do talento incrível com os quais trabalhamos. Atualmente, temos vários originais turcos em produção – com mais por vir – e esperamos compartilhar essas histórias com nossos membros em todo o mundo”.

O primeiro original turco da Netflix, The Protector, estreou em 2018. If Only deveria se concentrar em uma mulher infeliz no casamento que é transportada de volta no tempo até o momento em que seu marido lhe fez o pedido. Após o cancelamento, o showrunner Yörenç retuitou uma citação do CEO da Netflix, Reed Hastings, que teria dito ao jornal turco Hürriyet em 2018 que não tinha preocupações com a censura no país. “Estamos na Arábia Saudita. Estamos no Paquistão. Se não houver problemas, teremos problemas na Turquia? Não consigo imaginar isso”, ele teria dito.