Netflix pode estar cortando gastos após despesas bilionárias

Netflix logo N
Netflix logo N (Reprodução)

Líder no streaming em todo o mundo, a Netflix tem um modelo de negócio que ninguém conhece a não ser os próprios funcionários e executivos. Seus quase 200 milhões de assinantes, alimentam sua produção bilionária de conteúdo. Mesmo que seus números não sejam divulgados a não ser que haja um grande sucesso (como foi com The Witcher no final do ano passado), a estimativa é que a empresa tenha investido cerca de 20 bilhões de dólares em produções originais em 2020 mesmo com tudo paralisado desde março devido à pandemia causada pelo novo coronavírus.

Porém, esse momento de calmaria nas produções fez com que a empresa visse seu número de assinantes crescer. Seus investimentos foram tão altos que grande parte dos atores mais bem pagos de Hollywood, conforme uma lista divulgada pela revista Forbes, só garantiu tal posição ao fazer trabalho para a gigante, como Ryan Reynolds e Mark Wahlberg, mas notícias começaram a surgir sobre a empresa apertar o cinto nos gastos.

Depois de cancelar abruptamente seus programas mais populares, I Am Not Okay With This, The Society e Altered Carbon, começaram a surgir especulações de que a Netflix poderia reduzir seus gastos, com Daniel Richtman, considerado um mago quando o assunto é streaming e super-heróis dando a entender exatamente isso.

“Netflix está tendo um problema com verbas atualmente, e fazendo com tudo seja barateado. Especialmente agora”, escreveu ele em sua conta no Twitter. Como nos Estados Unidos, assim como no Brasil, o coronavírus não dá sinais de que irá embora tão cedo, é possível que a empresa invista na compra de conteúdo de terceiros, antes de voltar a produzir os seus próprios. Há quem diga que a empresa está preocupada mesmo em garantir o maior número possível de títulos para conseguir bater de frente com os novos serviços que estão surgindo como HBO Max, e Peacock.