Novo filme de Power Rangers poderá ter uma novidade inesperada

Power Rangers - O Filme
Power Rangers – O Filme, lançado em 2017 (Imagem: Divulgação)

Segundo conta o We Got This Covered, o novo Power Rangers, que está sendo desenvolvido pela Paramount Pictures, terá uma Ranger Vermelha. Se isso for realmente concretizado, essa será a primeira vez no cinema que o personagem é interpretado por uma mulher.

O plano parte da ideia de ter mais representatividade nos próximos anos. Assim como também citam a vontade de incluir um ranger autista e um gay. Apesar das informações, nada foi confirmado pelo estúdio. Então é apenas um rumor.

Até o momento, sabemos que o novo filme não terá ligação com o longa de 2017, produzido pela Lionsgate. O elenco será outro, assim como a equipe por traz da produção. No novo reboot, Jonathan Entiwistle, criador da série “The End of the F***ing Wolrd”, da Netflix, assume a direção. De acordo com informações do The Hollywood Reporter, o filme será ambientado nos anos 1990 e contará com viagens nos tempo. Já o roteiro será desenvolvido por Patrick Burleigh, de “Pedro Coelho 2: O Fugitivo”.

O THR afirma que a história deverá ter “um elemento de viagem no tempo que leva as crianças para os anos 90 e ao estilo De Volta Para o Futuro eles precisam encontrar uma maneira de voltar”. Já o período em que a trama será ambientada é o mesmo da série original “Mighty Morphin Power Rangers”. Mais detalhes sobre elenco e previsão de estreia ainda não foram divulgados.

Power Rangers – O Filme, lançado em 2017 e dirigido por Dean Israelite, não fez uma boa passagem pelos cinemas. O reboot fracassou na arrecadação, faturando apenas US$ 142 milhões nas bilheterias mundiais. O longa contou com um orçamento de US$ 100 milhões.

Quanto a recepção da crítica especializada, os comentários foram diversos, com avaliações mistas. No Rotten Tomatoes, por exemplo, com base em 169 avaliações, o filme possui uma aprovação de 51%. O consenso do site diz: “Power Rangers não tem a diversão excêntrica de seu antecessor de TV, nem a ação de grande sucesso de seus concorrentes cinematográficos de super-heróis e, infelizmente, nunca consegue mudar para o turbo por um bom tempo antiquado.”

 

 

Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), apaixonada por literatura, cartas e pela magia do cinema. Escritora de histórias e trajetos dos amores.