Novo Venom pode ter classificação para maiores após sucesso de Coringa

Venom
Venom (Reprodução)

O novo filme de Venom está previsto para fazer sua estreia mundial no segundo semestre de 2020, mas muito se discute sobre o longa sobretudo dentro dos estúdios da Sony Pictures. A maior preocupação no momento é sobre a classificação indicativa do longa. Seu produtor, Matt Tolmach acredita que no cinema atual há mais oportunidades para se contar histórias para adultos após o sucesso de Deadpool, Logan, e mais recentemente de Coringa, com Joaquin Phoenix. 

A obra da DC Comics tornou o filme com classificação R (Maiores de 17 anos) mais lucrativo de todos os tempos, arrecadando cerca de 1,05 bilhão de dólares – o que fez brilhar, é claro, os olhos da Sony. O primeiro filme de Venon, de 2018, teve classificação 13 anos e arrecadou 856 milhões de dólares, tornando-se a décima primeira maior bilheteria daquele ano. 

“Agora que percebemos que isso funciona, sempre podemos pensar sobre isso, mas nosso filme [anterior] funcionou muito bem”, explicou Tolmach ao site CinemaBlend. “Nossa franquia existe da forma que é, e não acho que estejam olhando e pensando ‘ei, eles fizeram’, Temos um lugar no mundo. Não é como se de repente todos estivessem pensando no que fazer com a classificação. Acredito que Coringa abriu portas para dizer que podemos também ter sucesso com esse tipo de classificação”, acrescentou ele. 

Anteriormente acreditava-se que uma classificação alta limitava o público, e a potencial receita do filme em bilheterias, o que se provou um erro após o sucesso de Deadpool nos cinemas. 

“Por muito tempo, essa foi a narrativa. Deadpool lutou contra isso, depois Logan, mas antigamente isso era praticamente proibido. Então, é a melhor coisa do mundo quando filmes classificados como R estão sendo prestigiados por grandes audiências, porque significa que há mais oportunidades para esse tipo de narrativa”, continuou Tolmach. 

Já Avi Avrad que produziu O Espetacular Homem-Aranha junto com Tolmach disse ao site ComicBook.com que uma classificação adulta para o Venom não deve ser considerada já que é possível contar a história do anti-herói sem apelar para a violência explícita. 

“Você pode deixar de lado a classificação R para que mais pessoas possam ver? Para que pessoas mais jovens possam ver? Eu fiz uma série de animação em 1994, e havia muito Venom lá. Não há razão para inserir tanta violência. O Venom não é definido pela violência, ele é sim um protetor letal, o que é bem diferente. Queremos ser fiéis aos quadrinhos, e hoje com CGI é possível fazer Venom morder sua cabeça, mas não precisamos necessariamente mostrar a cabeça balançando de um lado para o outro”, disse ele ao afirmar que o público não precisa de cenas de sangue para entender que aquele personagem é mau.