O Esquadrão Suicida, de James Gunn pode ter classificação +18

Joel Kinnaman
Joel Kinnaman como Rick Flagg em Esquadrão Suicida (Reprodução)

Quando o filme Esquadrão Suicida de David Ayer foi lançado nos cinemas em 2016, muita gente acreditou que ele teria classificação voltada para maiores de 18 anos por algumas razões. A primeira delas o sucesso de Deadpool, lançado naquele mesmo ano e pelo próprio diretor ter dito que o filme seria um dos mais sombrios da DC. Porém após inúmeras mudanças a Warner Bros. Bateu o martelo o definindo como classificação +13 nos Estados Unidos (equivalente a 12 anos no Brasil).

Mas um filme em específico mudou toda a trajetória de lançamentos da empresa. Coringa (Joker), filme de 2019 baseado num personagem dos quadrinhos e que foi o primeiro com classificação +18 a conseguir arrecadar mais de um bilhão de dólares. Com isso, existe forte especulação de que o novo filme da DC, O Esquadrão Suicida, de James Gunn repita esses passos e chegue para o público voltado especificamente para adultos.

O Esquadrão Suicida, que teve suas primeiras imagens oficiais exibidas no DC FanDome, evento online do estúdio, será uma espécie de continuação do primeiro, do ponto de visto que terá personagens já apresentados anteriormente como Amanda Waller (Viola Davis), Arlequina (Margot Robbie), Capitão Bumerangue (Jay Courtney), e Rick Flagg (Joel Kinnaman).

Este último inclusive reforçou em entrevista recente ao site The Hollywood Reporter que o filme pode vir mesmo com a descrita classificação etária. “[…]Para mim é como se tivesse feito minha primeira comédia, mas é altamente censurável”, disse ele citando o R-Rated, marca dos filmes voltados para maiores de 18.

Na mesma entrevista ele reconheceu que havia muito mais energia positiva para fazer o filme desta vez, do que da primeira, que a expectativa da Warner Bros. ‘pesou’ sobre atores e equipe: “Houve mais energia para fazer o filme pela segunda vez. Na primeira vez, havia muita energia colocada em tudo ao nosso redor. (Risos) Mas não, [os atores] são pessoas muito boas. Também tem a ver com todo o conceito de ser um time. Nunca houve um mau ego em nenhum desses filmes; nem no primeiro nem no segundo”.