O Homem Invisível: Elisabeth Moss fala sobre o novo filme

Elizabeth Moss
Elizabeth Moss (Imagem: Divulgação)

A atriz Elisabeth Moss comentou em entrevista ao site Empire sobre as alegorias de um dos remakes mais aguardados na indústria do cinema, O Homem Invisível. O novo longa deve estrear em breve nos cinemas de todo o mundo, mostrando claramente que a narrativa faz uma simbologia aos vários tipos existentes de abuso.

Você literalmente tem um homem que é invisível, você não pode vê-lo, ela diz que ele está ali, que ele a está atacando, abusando dela, manipulando-a, e todos ao redor dela dizem ‘relaxe. Tudo está bem’. E ela continua insistindo que ‘ele está vivo, ele está fazendo isso’, e ninguém acredita nela. Essa analogia é incrivelmente clara”, afirmou ela.

O Homem Invisível é um filme que mistura terror psicológico com ficção científica. O longa foi escrito e dirigido por Leigh Whannell.

A produção é uma adpatação moderna e muito solta de uma romance homônimo de autoria de HG Wells, além de ser uma adaptação cinematográfica de uma produção ainda dos anos de 1930, também com o mesmo nome.

O longa é estrelado pelos atores Elisabeth Moss, Oliver Jackson-Cohen, Aldis Dodge, Storm Reid e Harriet Dyer. O filme é uma coprodução internacional dos Estados Unidos e Austrália.

A nova versão da clássica produção, foi descrita como uma produção de baixo orçamento, porém “assustadora”. O processo de filmagem ocorreu em Sidney na Austrália, e teve início em julho de 2019, terminando em setembro do mesmo ano.

O projeto do novo longa, é uma coprodução entre as empresa Blumhouse Productions, Nervous Tick e Goalpost Pictures, tendo a Universal Pictures como distribuidora mundial da produção.

O Homem Invisível tem sua estreia marcada para o dia 27 de fevereiro de 2020. O filme teve o seu lançamento adiantado, originalmente a previsão era de lançamento apenas para o próximo dia 13 março.

Amante das diversas formas de expressão cultural. Viciado em séries, e sempre por dentro das últimas novidades do cinema. Ama dramas e sempre tenta dar uma oportunidade para as fantasias, distopias e os longas de ação e terror.