Vingadores: Ultimato (Reprodução)

Desde que o diretor Martin Scorsese resolveu “abrir o coração” e dizer o que realmente pensa sobre as adaptações de quadrinhos – em especial sobre os filmes da Marvel – a opinião de Hollywood se dividiu entre aqueles que o criticam e os que apoiam. Pensando nisso, preparamos uma lista especial para provar que o MCU faz cinema de verdade sim!

1 – Talento na frente e por trás das câmeras: O estúdio presidido por Kevin Feige reúne alguns dos melhores profissionais da indústria do entretenimento, de atores e atrizes nomeados ao Oscar a diretores, roteiristas e diretores de fotografia do maior calibre. Mark Ruffalo, Scarlett Johansson e Jon Favreau são alguns dos vários exemplos que trazem qualidade digna das produções mais prestigiadas.

Vingadores: Guerra Infinita (Reprodução)

2 – Evolução de personagens: A Marvel teve o cuidado de manter conexões entre suas dezenas de personagens durante várias fases do seu universo cinematográfico; construindo relacionamentos e explorando situações traumáticas entre amigos e familiares, as mais variadas. Quem acusa seus filmes de serem “vazios” realmente não deve estar prestando a atenção.

3 – Seriedade não é sinônimo de qualidade: O argumento de que os longas do MCU são “como parques temáticos” não funciona – ou ao menos não deveria ser considerado – como um algo negativo. Não existe nenhuma lei que proíbe um bom filme de também funcionar como puro entretenimento. Cinema, cinema de verdade, também tem essa função; e os títulos que se propõe a isso merecem tanto respeito quanto uma biografia sobre a Segunda Guerra Mundial.

4 – Prestígio: Se até mesmo a Academia de Artes e Ciências responsável pelo prêmio mais importante da indústria reconheceu Pantera Negra como merecedor de ser indicado a 6 Oscars dos quais venceu 3, quem somos nós para dizer que a Marvel não faz cinema, não é verdade?

5 – Relação com o público: Um dos pontos levantados – erroneamente – por Scorsese, é de que os títulos da Marvel não são “cinema para seres humanos tentando passar experiências emocionais e psicológicas para outro seres humanos”. O que dizer então das reações dos espectadores ao redor do globo ao acompanharem os momentos mais impactantes de Vingadores: Ultimato? As lágrimas derramadas pela morte de Tony Stark? O que é isso senão uma experiência emocional entre seres humanos?

Quem senta na sala de cinema no dia da estreia e compartilha com outras centenas a experiência de ver seus heróis favoritos de infância ganharem vida na tela, são as pessoas para as quais a Marvel produz cinema. E que cinema!

Tony Stark em Vingadores: Ultimato
Tony Stark em Vingadores: Ultimato (Foto: Divulgação)

 

ANÚNCIO

Comentários

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui