Pesquisa da Netflix traz REVELAÇÃO sobre relação público com personagens LGBTQ+

Maya Hawke em Stranger Things (Imagem: Divulgação/Netflix)

 A Netflix realizou uma pesquisa em parceria com a GLAAD, na qual mostrou que a representatividade de personagens LGBTQ+ em séries e filmes ajudam para que o preconceito venha a diminuir. 

Ver personagens LGBTQ+ em séries, filmes, TV e outras produções, ajuda para que o público crie empatia, assim diminuindo de um modo significativo a rejeição que muita gente tinha pela causa. 

O estudo mostrou que 81% dos brasileiros entrevistados, que se declararam como não sendo LGBTQ+, chegaram a assistir séries com personagens que fazem parte da diversidade, como a Robin de Stranger Things e o afetado Eric de Sex Education. O mais surpreendente foi o levantamento que revelou que o público acabou ficando mais confortável com pessoas LGBTQ+ que eles conhecem na vida real, após acompanharem os personagens.

“Muita gente ainda não sabe muito sobre pessoas LGBTQ+, então tudo que eles têm são alguns preconceitos. Então quando alguém diz para eles ‘eu sou gay’ ou ‘meu filho é gay’, ‘minha filha é trans’, eles substituem o preconceito pela pessoa real”, relatou Monica Trasandes, diretora de mídia latina e representação em língua espanhola da GLAAD.

A GLAAD Gay & Lesbian Alliance Against Defamation, é uma organização não governamental norte-americana, que tem como principal objetivo, monitorar o modo que a mídia mundial retrata os LGBTQ+. A entidade foi criada na metade dos anos 80, período no qual explodiu a AIDS em todo o mundo, e tinha a função inicial monitorar a maneira sensacionalista que a mídia americana retratava as pessoas LGBTQ+.

Os dados também mostraram que entre as pessoas assumidamente LGBTQ+, a representatividade em séries e demais produções, tem ajudado para que eles passem a ter apoio de sua família.

Já a relação dos personagens mais citados estão Robin e Eric, Casey Gardner (“Atypical”), Lito Rodriguez (“Sense8”), Omar (“Elite”), Piper (“Orange is the New Black”), RuPaul (“RuPaul’s Drag Race”) e Theo (“O Mundo Sombrio de Sabrina”).