Marvel Studios
Marvel Studios, responsável por levar as histórias da Marvel Comics aos cinemas (Reprodução/YouTube – BRAMarvel)

Desde a polêmica iniciada com o diretor Martin Scorsese e os filmes da Marvel, muita gente entrou na confusão, que deu o que falar. Agora, o diretor Josh Trank, responsável pela produção Quarteto Fantástico (2015), um dos últimos a se envolver no atrito, acabou tomando uma medida drástica. Depois de assistir a O Irlandês, novo filme de Martin Scorsese, e de criticar a Marvel pelas redes sociais, ele se afastou do espaço, tirando sua conta do Twitter do ar.

Antes de desativar seu perfil no site, o diretor responsável pelo reboot do Quarteto Fantástico havia comentado que O Irlandês tinha mais humanidade que os filmes da Marvel. “Estou assistindo a O Irlandês e os primeiros cinco minutos têm mais humanidade, verdade e emoções do que cada filme da Marvel junto. Desculpem, mas são apenas fatos… Na verdade, não há desculpas”, disse o diretor.

Para completar, Josh Trank ainda atirou para a DC Comics, concorrente da Marvel Comics. O cineasta disse que o mais recente sucesso de bilheteria da DC, o filme Coringa, é, na verdade, uma cópia de O Rei da Comédia, outro filme de Martin Scorsese, lançado no ano de 1983. “Minha mãe me mandou parar de digitar, pessoal. Boa noite. E não se esqueçam de assistir a O Rei da Comédia, aquele filme do Todd Phillips”, ironizou Trank.

Vale lembrar que o cineasta Martin Scorsese afirmou, há algumas semanas, em entrevista à revista Empire, que os filmes da Marvel “não são cinema”. Depois, ele aproveitou um espaço no jornal The New York Times para justificar sua posição. Em um artigo publicado no veículo, o cineasta afirmou que nada está em risco nos filmes da Marvel.

“Há quem diga que os filmes de Hitchcock [o diretor Alfred Hitchcock] são repetitivos e isso talvez seja verdade – Hitchcock mesmo expressou tal preocupação. Mas a mesmice das grandes franquias cinematográficas atuais é de uma ordem muito diferente. Muitos dos elementos que definem o cinema tal qual o conheço estão presentes nos filmes da Marvel. O que não está presente é a revelação, o mistério ou o perigo real”, disse o cineasta, conforme tradução do artigo, feita pelo jornal Folha de S. Paulo.

E continuou: “Nada está em risco. Os filmes foram feitos para satisfazer um conjunto específico de demandas e são concebidos como variações de um número finito de temas. Eles são continuações, em teoria, mas, na verdade, são refilmagens, em espírito, e tudo o que existe neles é oficialmente sancionado porque a verdade é que não poderia ser de outra maneira”.

Comentários

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui