Por que tem gente com ‘medinho’ do Pantera Negra?

Pantera Negra estreia nessa semana. Eu mesmo vou assistir a pré-estreia do filme amanhã (14), e estou ansioso para ver o filme. Mas algumas pessoas estão com uma certa dose de ‘medinho’ do herói e do novo filme da Marvel.

E eu quero entender os motivos disso.

Tem gente achando que ‘é negritude demais, é exagero, tá demais essa coisa de Pantera Negra…’.

Tá demais? Por que, cara pálida?

Eu quero é mais!

Algumas pessoas não entendem que filmes como Pantera Negra são mais que necessários no mundo de hoje, inclusive por causa de pessoas que pensam dessa forma. Não é apenas o empoderamento do afro-americano que esse filme defende, mas especialmente desmistificação dos estereótipos criados sobre o negro ao longo de décadas pela própria indústria de Hollywood.

Estamos saindo da era dos filmes que denunciam todas as barbáries e preconceitos contra os negros, que são muito válidos (vide o que 12 Anos de Escravidão conseguiu causar em Hollywood, e o que Corra! fez de barulho, com um discurso muito inteligente) para finalmente ter um filme majoritariamente pensado para colocar o negro como papel de protagonista forte, como alguém que pode mudar as coisas, e com o pleno controle da situação.

Algumas pessoas acham ‘um absurdo’ um filme com um rei negro e poderoso, que comanda um país africano tecnologicamente avançado, e com habilidades e capacidades para salvar o mundo, ou pelo menos proteger o seu povo.

Porém, muitas dessas pessoas não acham um absurdo existirem dragões e não existirem negros em Game of Thrones. Acha normal em La La Land, um filme onde um dos plots de fundo é o jazz, ter como o único negro do elenco principal o John Legend. Acha um absurdo que um dos co-protagonistas da nova trilogia Star Wars um negro (e se esquece, de forma burra, que a voz de Darth Vader foi feita por um negro).

Como Corra! bem mostrou, vivemos uma era onde o preconceito é algo tão velado, que parece uma hipnose, onde tem muita gente fingindo que entende e gosta da cultura negra só porque ouviu um CD inteiro do Kanye West. Virou moda ter ‘o amigo negro de estimação’, porque ‘o preto está na moda’.

Há algo de podre no reino branco da cultura pop.

Tudo bem, tem aquela parcela da população xiita nerd que sonha que Pantera Negra dê errado porque os filmes da DC não vão tão bem nos cinemas. Bom, quem pensa assim é apenas burro. Esses não me causam preocupação.

O que me incomoda são aqueles que acham que há uma superexposição do filme ‘apenas porque o protagonista é negro’. E daí? E daí que o Pantera Negra é um cara foda? E daí que Wakanda é super desenvolvida no meio da África? Não pode? Temos que viver sempre em uma África fudida, sem criar nenhuma perspectiva de um futuro melhor e fantástico para as novas gerações?

Quando a atriz Octavia Spencer (Estrelas Além do Tempo, A Cabana, A Forma da Água) decide comprar centenas de ingressos para que crianças carentes negras possam assistir ao filme Pantera Negra, ela não quer simplesmente se passar de boazinha. Ela quer mostrar para essas crianças que, como negros, somos sim fortes. Somos melhores. Somos fodas. E somos capazes de controlar o nosso futuro. Mudar tudo, pois é um poder que temos nas mãos por conta do nosso desejo de mudar o nosso próprio destino. Estimular as crianças a desenvolver um senso crítico positivo, virando o jogo das próprias vidas.

Todos nós precisamos de heróis. Se Pantera Negra for o grande herói dessa geração de crianças negras com poucas perspectivas na vida, temos aqui o começo de uma mudança social sem precedentes. E tem muita gente com medo disso, pois podem perder o ‘poder’ da supremacia branca disfarçada em ‘democracia, tolerância, compreensão e aceitação’.

Tal e como Corra! mostrou muito bem recentemente.

Logo… está com medinho do Pantera Negra? Você tem problemas sérios!

E é melhor ter medo. Porque depois que esse filme estrear, não tem mais volta. Tudo vai mudar. T’Challa pode ter mais poder que Jay-Z e Beyoncé juntos, uma vez que ele pode ser o símbolo de uma geração inteira sobre como você pode salvar o seu próprio destino, com os poderes que estão dentro de você.

Quem tem medinho do Pantera Negra, ou quem está de saco cheio da superexposição do filme precisa se tratar. Ou engolir o chororô no quarto escuro, em posição fetal. Porque o problema é achar que o grande problema é um filme ‘ser negro demais’.

Seu grande problema é ser preconceituoso.

Seu grande problema é ser um burro, idiota e imbecil.

E Pantera Negra vai ser um filme foda pra caralho. Não importa o que você pense ou queira. Essa é a verdade!

Agora, me dê licença. Perdi muito tempo dissertando sobre a burrice dos preconceituosos.

Vou ali pegar meus ingressos.

bostancı escort