Produtora negra relembra polêmica com Matt Damon e dispara: “Não queriam trabalhar comigo”

Effie Brown
Effie Brown (Divulgação)

A produtora de TV Effie Brown, já esteve à frente de diversas séries, como Cara Gente Branca da Netflix. Hoje, CEO da Gamechanger Films, ela fala sobre a baixa oportunidade para profissionais negros no universo do entretenimento, e relembra da discussão que teve com Matt Damon, por causa deste assunto, e as reações negativas que recebeu como se estivesse errada.

Na ocasião, ela era produtora executiva do Projetc Greenlight, um reality show que seguia os passos de cineastas que estavam dirigindo seus filmes pela primeira vez. Damon disse para Brown que a diversidade era para estar presente só no elenco do filme, e que profissionais negros não eram necessários no elenco do programa, e nem nos bastidores. Ela respondeu apenas com um “uau”, e colheu as consequências conforme contou em entrevista ao The Hollywood Reporter.

“Na maioria das vezes não há câmeras quando você está sofrendo microagressões. Tirando Matt Damon, isso acontece com outras pessoas todos os dias. As viram apenas esse conflito porque ele foi ao ar, mas não viram outros. […] Nos trataram como secundários, mesmo o programa estando sobre minhas costas, e construído em torno das minhas experiências, eu ainda era vista como algo menor do que meu título de produtora criativa”, começou ela.

“Depois disso, não é segredo, sofri uma enorme reação. Não trabalhei por um bom tempo. As pessoas não queriam trabalhar comigo porque eu falava sobre empoderamento, e quem fala sobre isso é marginalizado, e colocado para trás, chamadas de difíceis, briguentas, e por aí vai. Quando eu falei algo que eu falei algo que acredita, fui sumariamente rebatida, e não abraçada”, disparou.

Effie lembra que Lee Daniels, produtor de Empire, ligou para ela e perguntou como ela estava, lhe oferecendo um emprego em sua produtora, mas ele precisava dobrar os estúdios que não queriam tê-la no quadro de contratados. “É o que precisa acontecer. Alguém com poder e coragem em suas convicções para ajudar. Levou cinco anos para me libertar desse estigma. Hoje sou CEO e proprietária da Gamechanger Films, e sou convidada a alavancar pessoas, dando a elas o mesmo acesso que tive. Sou grata ao Black Twitter, e a Lee e seus aliados”, concluiu aconselhando que empresários contratem a diversidade.

Comentários