Proposta de chefe da Universal sobre seu filme deixou Quentin Tarantino louco de raiva; entenda

Os Oito Odiados
Os Oito Odiados (Divulgação)

Jeff Shell, diretor executivo da Universal estava numa situação complicada no início do ano, e com uma pandemia sem hora para acabar, resolveu lançar Trolls 2 direto para aluguel nos serviços de vídeo on demand, como Google Play. O que a princípio seria uma medida de emergência se transformou no novo normal, e segundo ele, o estúdio romperia com o sistema pré-estabelecido em que filmes são lançados nas salas de cinema, a partir do momento que mais longas chegassem no VOD. A declaração dele soou como ofensa pessoal para a AMC maior rede de cinemas dos Estados Unidos, que declarou que não iria mais exibir filmes da Universal em mais de mil salas, quando a reabertura acontecesse.

Mas esse não foi o único momento que Shell provocou a ira em seus parceiros. Ele chegou a ter uma ideia ainda mais controversa, quando sugeriu lançar um filme de Quentin Tarantino diretamente para iPhones em 2015. No The Wall Street Journal desta semana a curiosa história envolvendo o filme Os Oito Odiados foi contada. Tarantino havia se reunido com os executivos para falar dos custos do projeto, afinal ele pretendia rodar o longa inteiramente em 70mm, o que necessitaria de projetores especiais nos cinemas para que fosse exibido da forma como ele queria.

Quando ele explicou o que pretendia, Jeff Shell disse que tinha uma ideia diferente: lançar o filme, não nos cinemas e sim direto em iPhones. Ao ouvir isso, Tarantino se sentiu tão ofendido que se levantou e foi embora da reunião. Shell não estava tão errado do ponto de vista comercial, embora muita gente acredite que ele acabou com isso menosprezando o trabalho do cineasta que procurou a The Weinstein Company que gastou 60 milhões de dólares só para produzir Os Oito Odiados, e se deparou com uma despesa extra para rodar o filme como Tarantino queria, mas o problema veio depois, quando ele faturou apenas 155 milhões de dólares em todo o mundo.