Protagonista de The Walking Dead: World Beyond explica por que personagem tem pesadelos

Iris (Aliyah Royale) em The Walking Dead World Beyond [2]
Iris (Aliyah Royale) em The Walking Dead World Beyond (Reprodução)

The Walking Dead estreou no último domingo uma nova série de seu guarda-chuvas: The Walking Dead: World Beyond, que diferente das outras, já nasce limitada: terá apenas duas temporadas, de 10 episódios cada. As protagonistas são adolescentes que já cresceram com os perigos do vírus que transforma seres mortos em zumbis, e não chegaram a ver muito do mundo como era antes. Protegidas, dentro de uma grande comunidade chamada Omaha Campus Colony, onde a vida se parece muito com o mundo pré-zumbis, elas resolvem sair de lá e encarar os perigos do mundo para tentarem encontrar o pai, e livrá-lo das garras de uma organização governamental que o mantém refém num centro de pesquisas. 

Aliyah Royale e Alexa Mansour dão vida a Iris e Hope respectivamente, as duas irmãs que estão no centro da história e falaram sobre o que o programa fará diferente dos demais. “Eu acho, número um, Beyond tem tudo a ver com esperança. Esse é o tema essencial. À medida que você envelhece, fica menos otimista sobre certas coisas; menos empolgado com coisas que você fazia quando era criança. E acho que redescobrimos essa esperança no show; redescobrimos o que é não ser rebelde, mas curioso. Para querer aprender. E não há nada de errado em querer saber mais sobre o mundo em que você vive”, disse Royale ao site Screen Rant. 

Sua personagem, Iris logo no primeiro episódio aparece tendo constantes pesadelos, em que visualiza a si mesma, como um ser não vivo, e atriz fez questão de dar seu ponto de vista: “Iris sonha que simplesmente não é uma pessoa; que ela não é quem é atualmente. Ela não se vê como tendo um futuro; ela apenas vê que quem quer que seja agora não importa. Eu só preciso ser quem todos os outros precisam que eu seja. E quando você está vivendo assim, você está praticamente vazio por dentro. É por isso que acho que o fato de chamarmos os caminhantes de nosso programa de ‘vazios’ é realmente poderoso. Você verá caminhantes nas outras séries e se lembrará de que eles já foram uma pessoa e, em algum lugar, você espera que ainda estejam lá. Mas no nosso programa, é como, ‘Não, não sobrou nada lá’. E acho que Iris está tendo esses sonhos porque ela sente o mesmo por si mesma”.

Já Alexa Mansour abordou a relação de Hope com os outros personagens, já que ela é inicialmente uma adolescente rebelde. “Hope definitivamente deu uma chance a Silas. Silas é meio expulso da comunidade por causa das coisas que ele fez, e as pessoas não sabem a história completa e tudo mais. Espero dar uma chance a eles. Ela fica tipo, “Sabe de uma coisa, eu não acho que ele seja aquele cara grande e mau que todos pensam que ele é. Assim como eu não sou a pessoa terrível que todos pensam que eu sou.” Então, acho que Hope realmente se relaciona com Silas nesse sentido. Felix é aquele irmão mais velho que ela não quer. Ele está sempre a colocando no lugar dela, mas o faz porque a ama. E Hope apenas pensa que ele está tentando ficar no caminho dela e impedi-la de fazer o que ela deveria fazer. E mais cedo ou mais tarde, eles começam a trabalhar juntos e começam a perceber que é melhor trabalhar juntos do que tentar ficar contra ela o tempo todo. Dos quatro personagens. Iris é a mais inteligente. Iris é tão genial – ela é inteligente em livros; ela é realmente inteligente com livros. Acho que Hope tem uma aparência dura, mas ela é um bebê por dentro. Mas ela também é, eu acho, mais esperta nesse sentido. Silas é apenas muito quieto e muito tímido, mas quando ele precisa se levantar e fazer algo, ele está lá e ele será o que e quem ele precisar para fazer isso. Elton é como um pequeno Einstein. Seu QI está nas alturas com tudo o que ele faz. E também tem um propósito, por que ele foi embora. Ele está se esforçando muito porque pensa que alguém que ama está lá fora, então ele vai fazer tudo o que puder para encontrar essa pessoa”.