Resgate: Astro se pronuncia sobre comparações do novo filme Netflix com clássico

Chris Hemsworth em Resgate (Foto: Divulgação / Netflix)

Resgate, novo filme do ator Chris Hemsworth apresenta a história do mercenário Tyler Rake, um protagonista durão que é capaz de desabar e demonstrar fraqueza ao relatar a morte de câncer de seu filho de seis anos. O filme, que estreou na sexta-feira (24), na Netflix, tem chamado atenção e rendido algumas comparações com o filme “Rambo” (First Blood, 1982) estrelado por Sylvester Stallone, sobre um veterano da Guerra do Vietnã que não consegue se encaixar na vida civil ao voltar aos Estados Unidos.

O ator falou a respeito da comparação ao UOL, e o site sugere que o filme seria uma versão atualizada  do clássico dos filmes de ação. Nas palavras de Hemsworth: “Algumas pessoas comparam com ‘Rambo’. Mas é o que Sam Hargrave (diretor) e Joe Russo (roteirista) disseram: o objetivo era fazer um filme inspirado nos anos 1980 e 1990. Eu amo a comparação”.  Hemsworth se refere a Anthony e Joe Russo, da franquia “Vingadores”.

O próprio Hargrave segue dizendo que bebeu na fonte de “First Blood” ao conceber o filme: Cresci vendo Rambo. Achava demais a ideia de um herói de ação que enfrenta situações insanas. Gostando ou não, esse é o lugar de onde eu vim. São inspirações enraizadas no meu estilo”, confidenciou.

As primeiras impressões no site agregador Rotten Tomatoes demonstraram uma aceitação de 61% com base em 51 avaliações. “O espetacular trabalho de dublê e uma performance elétrica de Chris Hemsworth não podem impedir que Resgate seja arrastada por sua violência sem objetivo”, concluiu o consenso dos críticos.

“O que torna ‘Resgate’ um pouco diferente – ou seja, diferente o suficiente para ser bom – é que Hemsworth carrega essa história com ele, de cena para cena.” – Mick LaSalle, San Francisco Chronicle.

“Às vezes, é refrescante quando um filme é apenas um nome impróprio que cumpre o que promete.” – Johnny Oleksinski, New York Post.

“A extração é um pouco obscena e absurda, e o final tem um argumento exasperante – mas é preciso admitir que, em termos de pura ação, Russo e Hargrave trazem o barulho.” – Peter Bradshaw, Guardian.

Amante das diversas formas de expressão cultural. Viciado em séries, e sempre por dentro das últimas novidades do cinema. Ama dramas e sempre tenta dar uma oportunidade para as fantasias, distopias e os longas de ação e terror.